Seguidores

boo-box

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

2º ENCONTRO NACIONAL DE DELEGADOS FEDERAIS DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO EM BRASÍLIA FOI DEBATIDO AÇÕES E ESTRATÉGIAS PARA OS 3 ANOS


Vinte e seis delegadas e delegados do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) estiveram reunidos em Brasília, para avaliar o trabalho realizado pela pasta em 2015 e discutir as estratégias de ação para os próximos três anos. Entre os temas que foram debatidos estão: a promoção da reforma agrária, a regularização fundiária e a política de crédito fundiário - como instrumentos de democratização do acesso à terra e combate a violência no campo, além da autonomia socioeconômica das mulheres rurais, com a garantia dos direitos da cidadania. O encontro, que teve início terça-feira (17) prosseguiu até sexta-feira (20).

A secretária executiva do MDA, Maria Fernanda Coelho, que prestigiou a abertura do 2º Encontro Nacional de Delegados e Delegadas Federais de Desenvolvimento Agrário 2015, frisou que este é um momento de integração, alinhamento e direcionamento estratégico. É importante para fazermos uma avaliação em relação a tudo que foi proposto ao longo do ano de 2015. E, com base no PPA
2016/2019,  todos  os  delegados  poderão  ter  clareza  das  ações  que  estão  desenhadas  para  os próximos três anos”, destacou ao salientar a importância do trabalho desenvolvido pelas delegacias do MDA.

O delegado é um agente público fundamental para que as políticas, as diretrizes e os objetivos estratégicos do Ministério do Desenvolvimento Agrário estejam presentes na vida e no cotidiano do agricultor familiar, da comunidade quilombola, dos indígenas e dos assentados da reforma agrária”, disse.


Participação


O delegado do MDA no Rio Grande do Norte, Caramurú Paiva, foi um dos participantes do evento. Segundo ele, o encontro é uma oportunidade de discutir os avanços das políticas públicas para a agricultura familiar.Nós viemos fazer um balanço do que foi possível avançar e fazer os ajustes, para que as mudanças positivas continuem acontecendo, fazendo com que o campo e agricultura familiar ampliem seu papel de produtor de alimentos, e vá, cada vez mais, se dirigindo para a conversão agroecológica”, disse ao ressaltar que o objetivo é produzir alimentos de qualidade para o povo brasileiro.
Postar um comentário