sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Horror medieval, as 16 torturas mais terríveis da Idade Média


Horror medieval - as 16 torturas mais terríveis da Idade Média


Idade Média compreende o período entre os Séculos V e XV, ou seja, entre os anos 400 até 1500, e continua fascinando a humanidade até hoje. Foi uma época marcante em muitos aspectos, e dentre as coisas boas e ruins que aconteceram, os métodos de tortura utilizados na época marcaram muito a humanidade.

Torturadores tiveram sua "Era de Ouro", criando os mais perversos métodos para obter confissões e, ao mesmo tempo, espalhar o terror, para que as pessoas nem cogitassem a ideia de enfrentar os sistema. E o pior: a maior parte das torturas eram feitas "em nome de deus", pelas mãos das próprias autoridades religiosas da época, como a Inquisição, que flagelou um incontável número de pessoas por práticas consideradas "heréticas"...

A ideia por trás da tortura é que ela fosse tão terrivelmente dolorosa, que qualquer pessoa seria obrigada a confessar qualquer coisa que o torturador quisesse, inclusive coisas que ela nem tinha feito de fato!

Abaixo listamos algumas das mais terríveis e populares máquinas ou métodos de torturas medievais, e já avisamos: as descrições dos métodos de tortura que apresentamos aqui podem ser fortes, mas infelizmente são fatos que fazem parte da história da humanidade e da inventividade absurdamente cruel de muitas pessoas. É importante que isso esteja registrado e que tomemos ciência dos absurdos, para não repetirmos esses episódios dantescos jamais!


Empalamento

Torturas Medievais - Empalamento

Esse método é bem pior do que você via nos filmes! Normalmente nos livros e filmes vemos a lança ser introduzida no abdômen da vítima, mas a técnica original era bem mais terrível...  Esse era simplesmente o método de tortura preferido do verdadeiro "Conde Drácula", conhecido como "O Empalador". Também era um dos mais simples e baratos, pois não exigia nenhuma máquina de engenharia complexa, muito pelo contrário: bastava apenas uma lança fincada no chão. A vítima era então posicionada por cima da lança, que era introduzida em seu ânus, e o próprio peso do corpo fazia o resto do trabalho, impedindo a pessoa de escapar e forçando a passagem da lança por toda a parte interna da pessoa até sair pela boca do pobre torturado. 


Forquilha do herege

Torturas Medievais - Forquilha do herege

Era basicamente um "garfo" de metal com duas extremidades pontiagudas. A parte superior do garfo era posicionada sob o queixo da vítima, e a inferior era apoiada sobre o osso do esterno. O torturado não conseguia olhar pra baixo, não podia comer e também não tinha como se deitar para dormir, e assim passava dias e noites tentando se manter acordado e com a cabeça erguida para não morrer perfurado pelo garfo.


Cadeira de Judas

Torturas Medievais - Cadeira de Judas

Essa técnica parece ter sido inspirada no empalamento, que já mostramos acima, e nem dá pra saber qual das duas era pior... As vítimas eram penduradas por cordas e colocadas sentadas sobre pirâmides de madeira. O processo podia durar dias, e a vítima tinha seus orifícios (anais ou vaginais) esticados ao máximo pela passagem forçada do terrível objeto pontudo de madeira durante dias. Para piorar a situação, esse "equipamento" nunca era higienizado, e mesmo que o torturado sobrevivesse no final, ou fizesse a confissão exigida, provavelmente morreria mais tarde devido aos ferimentos e infecções.


Manivela dos intestinos

Torturas Medievais - Manivela Intestinal

Mesmo diante de tantos métodos horripilantes de tortura, esse conseguia ser um dos piores...O infeliz torturado era colocado sobre uma mesa e amarrado. Depois o torturador cortava o abdômen da vítima como em uma cirurgia, e pendurava a ponta de seu intestino delgado em uma manivela. que era girada lentamente, retirando o intestino da pessoa pouco a pouco. Lembre-se que o intestino delgado pode atingir até 6 metros de comprimento, então a tortura podia levar horas, com a vítima ainda viva, assistindo tudo até morrer de hemorragia...


Gaiola da Tortura

Torturas Medievais - Gaiola da Tortura

Era muito comum e você já deve ter visto isso em filmes algumas vezes. Usado geralmente como punição para crimes como blasfêmia e roubo,a gaiola servia como se fosse uma pequena cela, muito apertada, onde a pessoa era colocada, pendurada em região central da cidade. Dentro da gaiola a pessoa não conseguia se mexer, não recebia comida nem água e ficava exposta as maldades de qualquer pessoa que passasse pela rua dia e noites a fio. A morte podia levar semanas, e a pessoa começava a ser devorada aos poucos (e ainda viva) por animais e aves, bem diante dos olhos de todos os cidadãos.


Garrote

Torturas Medievais - Garrote

A vítima era presa a uma cadeira especialmente projetada com um dispositivo que prendia também seu pescoço com uma haste de metal. Depois a garganta da vítima era esmagada pouco a pouco pela haste. E esse era apenas o método menos terrível: ainda existiam garrotes com assentos e encostos de pregos pontiagudos ou lâminas, que podiam penetrar as costas da vítima e eram bem piores...


O Balcão da Tortura

Torturas Medievais - Balcão da Tortura

Era uma mesa de madeira, onde a vítima era colocada com suas mãos amarradas em uma parte móvel acima e seus pés na na parte móvel abaixo. Através de roldanas o torturador esticava aos poucos a vítima, até que seus ligamentos partissem, o que provocava extrema dor, e algumas vezes os membros chegavam até a ser arrancados pelo esticamento. No final da Idade Média, a mesa ainda foi "aperfeiçoada" com espinhos de ferro que penetravam nas costas da vítima, e se tornou ainda mais terrível.


Aranha espanhola

Torturas Medievais - Aranha espanhola

Era um objeto com garras de metal compridas que, depois de serem aquecidas, eram colocados nos seios da mulher. O metal quente queimava a pele e quando o torturador quisesse, podia fechar as garras e puxar o objeto, arrancado os seios da pobre vítima. Esse método também chegou a ser usado em barrigas e nádegas, e era normalmente aplicado a mulheres acusadas de bruxaria. Mas lembre-se, bruxaria na Idade média podia ser qualquer coisa, até curandeiras que faziam remédios caseiros podiam ser consideradas bruxas......


Serra dos hereges

Torturas Medievais - Serra

Técnica muito utilizada para punir pessoas acusadas de bruxaria, adultério, assassinato e até blasfêmia. Era também usada para ameaçar os acusados, colocando seus familiares para serem serrados ao meio por dois torturadores, que amarravam a vítima de cabeça para baixo e depois começavam a serrar começando pelo meio de suas pernas. Essa tortura costumava levar várias horas de sofrimento.


Esfola

Torturas Medievais - Esfola

Método muito utilizado na Caça às bruxas. O torturado era amarrado pelas mãos e pelos pés, e então  o carrasco começava a cortar lentamente a pele da vítima, tirando várias fatias, que deixavam seu corpo em carne viva, o que acabava matando a infeliz vítima por hemorragia.


Esmaga Cabeças

Torturas Medievais - Esmaga Cabeças

Muito popular durante a Inquisição Espanhola, essa terrível peça de engenharia causava dores insuportáveis e danos irreparáveis. O artefato era como um  capacete conectado com uma barra sobre o queixo da vítima. Um parafuso apertava o capacete e comprimia a cabeça inteira, causando traumatismos cranianos e destruindo a mandíbulas. Muitas vezes os torturadores não paravam de apertar o aparelho até que os globos oculares saltassem, juntos com partes do cérebro que vazavam do crânio.


Pêra

Torturas Medievais - Pêra

Um instrumento altamente elaborado, utilizado tanto em mulheres quanto em homens. Era inserido no ânus ou na vagina, e depois um parafuso era girado para movimentar as lâminas internas, que surgiam de dentro do artefato causando danos inimagináveis na vítima.


Tubo de crocodilo

Torturas Medievais - Tubo de Crocodilo

Era um tubo com interior revestido com centenas de dentes de crocodilo. A vítima era colocada dentro do tubo ficando apenas com o rosto e os pés para fora. Depois o torturador começava a aquecer lentamente o tubo, queimando as vítimas, que se debatiam tentando se livrar do tubo, e se feriam nos dentes afiados.


A máscara da infâmia

Torturas Medievais - máscara da infâmia

Era usado contra as mulheres consideradas fofoqueiras, ou aquelas que falassem contra os dogmas religiosos da época. O artefato era como uma gaiola colocada em torno da cabeça da vítima, e podia ter partes metálicas cortantes que eram inseridas no interior da boca, impedindo-a de falar e ferindo-a gradualmente. As mulheres que sofriam esse tipo de punição, eram geralmente expostas ao público nos centros dos vilarejos, para que as outras mulheres fossem "inspiradas" a manter a virtude do silêncio e da obediência as regras religiosas...


Caldeirão de óleo

Torturas Medievais - Caldeirão de óleo

Era apenas uma "panela" bem grande, onde cabia uma pessoa, quase como uma banheira. O panelão era cheio de óleo frio, e o torturado era colocado lá dentro. Depois acendiam uma fogueira por baixo do caldeirão, que ia aquecendo o óleo aos poucos, até chegar ao ponto de fervura. A ideia era obter a confissão do infeliz que estava sendo torturado antes que ele morresse literalmente frito...


Gaiola de ratos

Torturas Medievais - Gaiola de ratos
Era um dispositivo bem simples: Uma gaiola sem fundo era colocada sobre o abdômen do pobre infeliz a ser torturado, e depois colocavam um rato (bem vivo) dentro da armadilha. Após alguns dias o animal começava a ficar faminto, e começava a cavar a barriga da vítima para tentar se libertar. Isso se o torturador não resolvesse ser ainda mais cruel e maltratar propositalmente o rato para que ele ficasse desesperado e adiantasse o brutal desfecho da tortura... 

Postar um comentário