terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Tem medo de avião? Saiba o que os pilotos nunca vão contar para você

(Thinkstock)(Thinkstock)
Medo ou receio de voar de avião é muito comum, até em quem não se assume de fato um medroso. Afinal, é inegável que as instabilidades provocadas pelos gigantescos pássaros de ferro nos dão calafrios; a sensação de impotência em um eventual acidente é latente também. E, mesmo com todo esse tabu, algumas coisas os pilotos e comissários não contam para você – justamente para que não te dê mais medo ainda.
Usuários da rede social "Quora", site usado para perguntas e respostas específicas dentro de uma comunidade, sabatinaram o americano Paul Cox, piloto e controlador de tráfego aéreo na Federação de Aviação dos Estados Unidos, e perguntaram quais os principais fatos omitidos por quem vive o dia-a-dia nos ares. Confira:
Às vezes, os aviões têm falhas e ninguém fica sabendo 
Apesar do fato de nós tentarmos pensar que as aeronaves são meios de transporte muito seguros – e que, consequentemente, falham muito pouco – os aviões apresentam uma série de falhas relativamente comuns, como queda de energia do cockpit, problemas na bateria e até mesmo situações nas quais a rota é finalizada com apenas metade dos motores funcionando.

Na maioria dos casos, no entanto, essas falhas são consertadas antes da decolagem, ou a tempo de aterrissar. Ufa!
(Thinkstock)(Thinkstock)
O pouso pode ser irregular ou brusco de propósito 
Praticamente todos os pilotos já passaram por uma aterrisagem irregular em algum momento da vida, mas isso não é sempre culpa de erros de cálculo, não. Há momentos em que um pouso brusco énecessário: quando, por exemplo, está chovendo. Nessas situações, a aeronave precisa aterrissar forte o suficiente para quebrar a resistência da lâmina d'água na pista.

Entretanto, uma estatística dá aval para que tenhamos receio no momento do pouso: quase 50% dos acidentes e fatalidades registrados em aviões acontecem nessa hora. Todo cuidado é pouco.
(Thinkstock)(Thinkstock)
Alguns pilotos dormem durante o voo
É preocupante pensar que o piloto de um avião está sonolento, ou até dormindo, mas é algo relativamente comum. Em 2012, uma pesquisa divulgada na imprensa inglesa afirmou que quase metade dos pilotos admitiu ter caído no sono no cockpit em algum momento da carreira.

Apesar de não ser uma informação tão animadora, existem situações nas quais eles de fato podem dormir e tirar pausas para descanso. É para isso que o copiloto está lá.
"Geralmente, voos com menos de 10h30 necessitam somente de dois pilotos. Para viagens mais longas, pilotos extras realizam um turno para que cada um tenha a oportunidade de dormir e descansar", explica o capitão Piers Applegarth, da Associação de Pilotos Britânicos (BALPA), em entrevista ao Daily Mail.
Voos são mais tranquilos pela manhã 
Se você tem medo de turbulência, os voos matinais são sem dúvida a melhor escolha. A maioria das tempestades são registradas no período da tarde. O início da noite também é mais calmo, geralmente.

Um clima mais fresco ajuda a estabilidade da aeronave, uma vez que o movimento do ar quente proveniente do solo faz o voo e o pouso serem mais estáveis.
(Thinkstock)(Thinkstock)
Por segurança, os pilotos têm refeições diferentes 
Caso alguma coisa esteja errada com a comida do avião, o risco dos DOIS pilotos passarem mal é uma hipótese que ninguém quer considerar, não é mesmo? Justamente por isso é bastante comum que eles não façam a mesma refeição. Muitas vezes, há um cardápio especializado para todos os integrantes da tripulação, ou os próprios profissionais trazem os seus respectivos alimentos. Aposto que você nunca pensou nisso.

(Thinkstock)(Thinkstock)
É inevitável: todo avião, um dia, será atingido por um raio 
Está cada vez mais comum ver por aí alguns vídeos de raios atingindo aviões durante voos, aterrissagens ou até quando o veículo está parado, no aeroporto. Estatisticamente, cada aeronave é atingida por um raio uma vez por ano. Felizmente, na maioria das situações a descarga pouco danifica a estrutura.

(Thinkstock)(Thinkstock)
As máscaras de emergência têm somente 15 minutos de oxigênio 
Em uma situação crítica, as máscaras de oxigênio cairão sobre os assentos – e você sabe muito bem como colocá-las e que deverá ajudar quem mais precisa; como gestantes, idosos, crianças ou quem estiver com dificuldades, certo? Isso os comissários deixam bastante claro antes de cada decolagem, mas ninguém te conta o fato de que as máscaras possuem só 15 minutos de oxigênio disponível.

No entanto, pode ficar tranquilo quanto a isso: esse é o tempo suficiente para os pilotos diminuírem a altitude do avião até um ponto em que você não precise mais de ajuda para respirar.
Fonte: Yahoo Brasil/Super incrível
Postar um comentário