Seguidores

boo-box

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Adolescente que desapareceu em BH é encontrada em João Monlevade



Fim do drama para a família da adolescente Débora Maranhês, de 15 anos, desaparecida desde a noite do sábado ao voltar do cinema com as amigas na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A estudante foi encontrada nesta segunda-feira em João Monlevade, a 100 quilômetros da capital, na Região Central do estado. 


A família recebeu notícias da adolescente durante a madrugada. Segundo a mãe, Sandra Maranhês, Débora contou que foi assaltada por dois homens armados dentro do ônibus e forçada a entrar em um carro. “Ela foi abandonada no meio da estrada, andou muito, até chegar mesmo em Monlevade. Bateu em algumas portas até que um filho de Deus resolveu abrir e ligou para a polícia”, conta. 



Conforme Sandra, policiais militares foram até a casa onde a adolescente estava abrigada, no Bairro Nova Esperança, e a levaram ao quartel, onde as duas se encontraram nesta manhã. “Está machucada, foi bastante agredida”, detalha. “Levaram o chip do celular, identidade, para que ela demorasse a entrar em contato”. Ainda de acordo com Sandra, a filha não soube dar mais detalhes do caso.



A mãe da adolescente disse que após passarem pela delegacia, elas vão para um hospital e, em seguida, para casa. 




O desaparecimento de Débora mobilizou milhares de pessoas pela internet e ganhou repercussão rapidamente. Uma postagem da página oficial do Colégio Santo Antônio – onde a adolescente estuda – comunicando o desaparecimento já contava com mais de 21 mil compartilhamentos até o início desta manhã. 


Entenda o caso



Débora saiu de casa por volta das 14h de sábado para ir ao cinema com as amigas. De lá, o grupo seguiu para a Praça da Liberdade, onde encontrou outras adolescentes. "Na volta para casa, uma amiga dela me contou que as duas seguiram a pé até o ponto de ônibus. Essa amiga disse que minha filha entrou no ônibus", conta Sandra. 



O último registro era de que a adolescente pegou um ônibus da linha 4111 (Dom Cabral/Anchieta) na volta para casa, às 20h30, na Avenida Cristóvão Colombo, na região da Savassi. Desde então, a família não havia recebido mais notícias. O celular de Débora estava desligado.



O caso foi registrado na Delegacia Virtual, já que a Delegacia de Desaparecidos não tem plantão. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, a delegacia já entrou em contato com a família da adolescente, e ela foi convidada a prestar depoimento, mas ainda não há uma data marcada. A sequência das investigações vai depender das informações prestadas pela estudante à Polícia Civil. 



(Com informações de Fernanda Borges)
FONTE: EM COM
Postar um comentário