SPIDER2

CADASTRE SEU BLOG

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Absorvente interno pode causar doença bacteriana grave

Os absorventes internos são a opção escolhida por várias mulheres no período menstrual pela praticidade e por não marcarem na calcinha, principalmente em dia de praia ou piscina. Mas é preciso ficar alerta com uma séria complicação ligada a ele que pode afetar muito a sua saúde.
O uso de absorvente interno pode dar início ao desenvolvimento de Síndrome do Choque Tóxico. Esta doença é causada por uma infecção bacteriana da bactéria estafilococos. Esse microorganismo geralmente é encontrado na pele e no nariz, mas só gera uma doença se há uma proliferação muito grande de bactérias, criando uma toxina. Quando esta toxina entra em contato com a corrente sanguínea, o corpo reage fortemente para tentar combatê-la, provocando o choque tóxico.
A Síndrome do Choque Tóxico no entanto não acontece só com mulheres em período menstrual - pelo contrário. Mais de 50% dos casos são diagnosticados em homens e crianças e são, logicamente, provenientes de outras origens, como infecções de cicatrizes, queimaduras e até sinusite.
Os médicos ainda não tem um veredito sobre o porquê de está Síndrome ocorrer com mulheres durante os dias da menstruação. Mas, de acordo com um estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, o absorvente interno constitui um meio ideal para a proliferação das bactérias, além de estar dentro da vagina, região de pH neutro. Outra possibilidade é de que o absorvente interno arranha a superfície da vagina, abrindo espaço para as bactérias entrarem na corrente sanguínea.
Os sintomas característicos da Síndrome do Choque Térmico são febre alta, pressão baixa, moleza, vermelhidão pelo corpo, dores de garganta, de cabeça, musculares e abdominais e até desmaios. Todos os órgãos do corpo tentam combater as toxinas juntos, gerando vários sintomas ao mesmo tempo.
A doença se desenvolve muito rapidamente, e, se perceber estes sintomas, o paciente deve correr para o hospital e ser tratado com antibióticos. O caso da modelo americana Lauren Wasser acabou servindo como alerta e chamou bastante atenção para o assunto. Ela achou que estava apenas passando pelos sintomas de uma gripe, mas em determinado ponto não conseguia mais se levantar. Lauren teve que ter uma perna amputada e ainda tem sequelas desde 2012.
Para evitar que esta doença se desenvolva por causa do uso de absorventes internos, procure sempre trocá-los a cada 4 ou 6 horas de uso, nunca mais do que isso, e sempre manter a higiene lavando bem as mãos e evitando deixar feridas abertas sem tratamento.
(Foto Thinkstock)
Postar um comentário