SPIDER2

CADASTRE SEU BLOG

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Cinco boas práticas de assistência técnica potiguar foram selecionadas para evento nacional


A identificação de metodologias inovadoras no trabalho de assistência técnica e extensão rural -  ATER que apoiem a produção de alimentos saudáveis, a inclusão produtiva e a geração de renda na agricultura familiar são os objetivos buscados na seleção nacional realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário.

No Rio Grande do Norte 15 boas práticas de ATER foram submetidas para a avaliação sendo selecionadas as seguintes experiências com as respectivas organizações ganhadoras:

- CF8: Brincadeiras para Igualdade: experiência de recreação infantil no oeste Potiguar,

- IDS: EXPERIÊNCIA ASSESSORIA DE ATER A COOPERATIVA DE PRODUTORES RURAIS DO PROJETO  DE  ASSENTAMENTO  NOVO  PINGOS,  ASSU   RN,  PELO  PROGRAMA  MAIS GESTÃO.

- EMATER RN: CERES.

- TECHNE: O CULTIVO DE HORTALIÇAS COMO ALTERNATIVA DE GERAÇÃO DE RENDA.


- Cooperativa Terra Livre: UM QUINTAL QUE FAZ DIFERENÇA: O PROJETO DE ASSENTAMENTO CRISTALINA COM PRODUÇÃO INTEGRADA NOS SEUS QUINTAIS E NAS SUAS CASAS.


As experiências ganhadoras participarão de um evento nacional reunindo boas pticas de assistência técnica de todos os Estados do Brasil e terão as suas experiências numa publicação que se feita pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário.



O Delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Rio Grande do Norte, o engenheiro agrônomo Caramu Paiva, parabenizou as entidades selecionadas e informou que estas e outras experiências serão apresentadas e discutidas nas conferências  territoriais  e  na  conferência  estadual  sobre  a  assistência  técnica.  “O nosso Estado tem uma empresa de assistência técnica que está prestes a completar 60 anos e um conjunto de entidades não governamentais com atuações bem sucedidas na assistência técnica para a conversão agroecológica e a convivência com o semiárido. Isso pode contribuir muito para os novos avanços que se deseja para a assistência técnica a nível de Brasil”, avaliou o delegado do MDA.
Postar um comentário