quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Você iria? Hotel tem só uma regra: se entrou, tem duas semanas para morrer

ReproduçãoReprodução


As diferenças culturais fazem parte do mundo e, em alguns casos, são bem gritantes. Normal. Mas quando se trata da comparação entre as culturas ocidental e oriental, a diferença fica ainda maior.

Que o diga o um “hotel espiritual” que fica na Índia e chamou a atenção de turistas por conta de uma regra nada usual. Quem se hospedar ali possui duas semanas para morrer. Sim, é exatamente isso.

O local em questão, o hotel Mukti Bhawan, também conhecido como Casa da Libertação, recebe apenas pessoas em condições terminais, no final da vida, para que possam morrer em um lugar sagrado. O procedimento faz parte da religião local.

O hotel fica a pouquíssimos metros do famoso rio Ganges, que também é considerado sagrado. Nele há um pequeno jardim, um edifício vermelho de janelas verdes e com decoração predominantemente cinza. No total, são 12 quartos que ficam vazios no tempo determinado.

ReproduçãoReprodução


De acordo com funcionários do hotel, quase sempre as vagas estão ocupadas, mas em uma determinada época do ano a procura cresce. Trata-se do período entre maio e junho, quando o calor na Índia fica insuportável e diversos idosos e doentes acabam morrendo em decorrência dele,

“Muitas vezes as pessoas chegam aqui, passam alguns dias e percebemos que ela não está na pior fase de sua vida, que não está próxima da morte. Aí, então, temos que lhe pedir que vá embora e deixe a vaga para quem realmente precisa”, explicou um funcionária ao Clarín.

O hotel funciona através de doações e é beneficente, cobrando apenas gastos com eletricidade de seus hóspedes. Estes, por sua vez, chegam do país inteiro, muitas vezes em condições absolutamente próximas da morte. 

Fonte: Redação Yahoo Brasil
Postar um comentário