sábado, 13 de fevereiro de 2016

Golpe de agente de viagem é superior a R$ 2 milhões e ela já deve estar fora do Brasil

A agente de viagem Mariana Reis não deve estar mais no Brasil e a dívida dela com os fornecedores deve superar a quantia de R$ 2 milhões. Somente junto a empresas consolidadoras de companhias aéreas, a dívida chega a mais de R$ 350 mil, e com fornecedores de mais de R4 1 milhão.
Mariana está sendo procurada por agentes da Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa, acusada de praticar golpes contra clientes na venda de pacotes de cruzeiros marítimos no valor de R$ 100 mil. A reportagem obteve informações com exclusividade de uma fonte.
De acordo com as informações, Mariana Reis já prevendo o estouro do rombo provocado pela agência de viagens dela, a empresária teria vendido todos os bens que possuía na Paraíba e viajado para o exterior. Provavelmente o destino teria sido os Estados Unidos, segundo a fonte. Somente de um cliente - o nome não foi informado - a agência teria dado um golpe de R$ 100 mil na venda de cruzeiros marítimos.
O presidente da Abav-PB - Associação Brasileira das Agências de Viagens, secção Paraíba, Bruno Mesquita, lamentou os danos provocados aos clientes e fornecedores, mas alertou que a agência Mariana Reis não é associada à instituição, e não tem qualquer relação comercial com a MR Travel, empresa de propriedade da mãe dela, Moema Reis, que não reside no Brasil desde o ano passado.
Bruno Mesquita lamentou que alguns setores da imprensa procurem fazer a ligação entre as duas empresas, inclusive, informando em uma legenda na foto da Mariana Reis que ela é filha da Moema Reis. O presidente da Abav-PB disse que Moema continua com a MR Travel, agência que atua no mercado com credibilidade.
As duas, Moema e Mariana, segundo a reportagem apurou, não se falam há mais de dois anos, após terem rompido as relações comerciais, que resultaram em problemas familiares, que teria provocado, inclusive, a ida da mãe para o exterior.
Essa situação, segundo Bruno Mesquita, prejudica ainda mais a imagem das agências de viagens, principalmente, em um momento de crise econômica onde as vendas estão retraídas, além de despertar desconfiança dos clientes.
Ele destacou a importância dos clientes procurarem agências abavianas, porque terão mais garantia e segurança na aquisição dos serviços, e na prestação deles, e um setor jurídico que atua em casos de problemas gerados pelas empresas. 

/ Fonte: TURISMO EM FOCO Fábio Cardoso

Postar um comentário