Seguidores

terça-feira, 28 de junho de 2016

Edição brasileira do El País destaca projeto de Rogério Marinho


Um dos maiores jornais da Europa, o espanhol El País destacou em sua edição brasileira projeto apresentado pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB) na Câmara dos Deputados. Segundo a proposta do parlamentar, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) passaria a ser analisada obrigatoriamente pelo Congresso Nacional antes de ser posta em prática pelo Ministério da Educação (MEC).

O jornal abordou a disputa ideológica que existe no país atualmente, destacando que a mesma já domina também os debates na educação. A mesma matéria também destaca as discussões em torno do projeto Escola Sem Partido, que visa combater a doutrinação ideológica dentro de sala de aula. O deputado Rogério Marinho também possui proposta semelhante, que criminaliza o assédio ideológico no ensino brasileiro.

Em entrevista ao El País, Rogério Marinho afirmou que o Brasil forma educadores de "viés ideológico". Para o tucano, no processo de consulta pública do BNCC, feito pelo MEC, não é possível saber se houve uma "triagem" e se só foram consideradas as opiniões que eram parecidas com às do Ministério, gerido até então pelo PT. 

"As famílias e seus representantes têm que ser consultados. Não há órgão mais representativo para a sociedade brasileira, queiramos ou não, do que o Congresso Nacional", ressalta Rogério. O projeto ganhou um relator na Comissão de Educação da Câmara na semana passada e a perspectiva é que possa ir à votação no colegiado ainda este semestre.

A BNCC determinará o que cada aluno deverá aprender, ano a ano, e o que se espera que ele saiba, exatamente, ao final daquele período letivo, estabelecendo uma base educacional única para todo o país. Até agora, já foram apresentadas duas versões da Base, ambas recheadas de visões ideológicas, na opinião de Rogério Marinho.

Confira a matéria da versão brasileira do jornal El País completa neste linkhttp://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/22/politica/1466631380_123983.html.
Postar um comentário