SPIDER2

CADASTRE SEU BLOG

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Jovem é encontrada morta após denunciar assédio no trabalho

O corpo da advogada Ariadne Wojcik, de 25 anos, recém-formada em direito pela Universidade de Brasília (UnB), foi encontrado na tarde desta quarta-feira, 9, na Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, no Mato Grosso, após ela postar uma mensagem no Facebook denunciando um assédio sofrido no trabalho. As informações são do Correio Braziliense.
Na publicação, a jovem relata o assédio de um professor durante um estágio em Brasília. Depois desse estágio, ela voltou para Cuiabá, onde iria trabalhar no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). O acusado, o professor Rafael Santos, nega a denúncia.
No Facebook, ela deu a entender que cometeria suicídio
Créditos: Reprodução / Facebook
No Facebook, a jovem deu a entender que cometeria suicídio
Na rede social, Ariadne conta que tudo começou quando procurou um de seus professores para concorrer a uma vaga de estágio. "Eu achava aquele professor o máximo, extremamente inteligente, detalhista, perspicaz, minucioso, brilhante. Como poderia ser ruim? Até que as coisas começaram a ficar esquisitas", diz trecho da mensagem.
Depois de um tempo no emprego, a jovem diz que passou a receber presentes e mensagens muito pessoais do professor. À época, ela conta que não desconfiou das segundas intenções e que continuou no estágio porque precisava do salário. "As coisas ficaram muito estranhas quando ele demonstrava que sabia todos os lugares onde eu ia, sabia o teor das minhas conversas, com quem eu falava, sabia as páginas que eu acessava no meu computador pessoal", contou.
Ela então decidiu sair do emprego e se mudou para Cuiabá, onde iria começar a trabalhar no Tribunal de Justiça. Só que, mesmo assim, segundo ela, a perseguição continuou. "Eu achava que aqui, em Cuiabá, no emprego novo, na vida nova, eu estaria a salvo da perseguição dele, mas ele nunca desiste, nunca", escreveu.
Ariadne acaba sua publicação com um pedido de socorro: "Peço, por favor, façam alguma coisa, ele não vai se arrepender, ele não vai parar. Alguém faça alguma coisa". E finaliza: "Pra mim é tarde... Que na próxima reencarnação eu possa fazer uso de todo aprendizado que tudo isso me trouxe, mesmo com tanta dor e sofrimento. Essa vida eu já não posso mais suportar, que Deus me perdoe e me entenda, mas ele já sabia, ele sempre sabe".
O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar do Mato Grosso encontraram a bolsa e sapatos da garota na Chapada dos Guimarães, logo no início das buscas. O corpo de Ariadne está no Instituto de Medicina Legal (IML) para a perícia e deve ser liberado até hoje, quinta-feira, dia 10.
Nas redes sociais, usuários e amigos da jovem lamentam sua morte e pedem punição do acusado. Confira:
Postar um comentário