DATAHOSTING

PARTNER

sábado, 31 de dezembro de 2016

Polícia confirma morte de embaixador grego e pede prisão de viúva

Reprodução/Facebook/GreeceinBrazil
Ver as imagens
Reprodução/Facebook/GreeceinBrazil
A Polícia do Rio confirmou que o corpo encontrado em um carro carbonizado no Arco Metropolitano é do embaixador da Grécia do Brasil, Kyriakos Amiridis, de acordo com informações do jornal RJTV e do portal G1.
Os investigadores pediram à Justiça a prisão de quatro pessoas que teriam planejado e executado o crime. Entre elas, a embaixatriz Françoise Amiridis, viúva do diplomata, e o policial miltar Sérgio Gomes Moreira Filho, que seria amante dela. Outros dois homens são suspeitos de participar do assassinato. A principal hipótese é crime passional.
A viúva comunicou na quarta-feira, dia 28, o desaparecimento do embaixador Amiridis, de 59 anos. Segundo ela, ele saiu de casa em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na noite de segunda-feira, dia 26, em um carro alugado sem dizer para onde iria. O casal vivia junto há 15 anos e tem uma filha de 10 anos.
O veículo foi encontrado incendiado na tarde de ontem, com um corpo em seu interior. Além do carro, a polícia também apreendeu um sofá que continha manchas de sangue.
Durante a madrugada, um policial prestou depoimento na delegacia. O advogado do PM que acompanhou o depoimento, deixou o local por volta das 3h, mas seu cliente ainda estava na unidade até a publicação desta reportagem. A Polícia do Rio não quis informar se o PM foi ouvido como testemunha ou como suspeito.
Às 10h da manhã de hoje, Françoise Amiridis chegou à delegacia acompanhada por policiais.
O desaparecimento do embaixador foi notícia nos Estados Unidos e na Europa.
Amiridis morava em Brasília desde janeiro, quando assumiu o cargo de embaixador geral da Grécia no Brasil. Ele já havia sido cônsul no Rio entre 2001 e 2004.
Com informações do G1.
Postar um comentário