sábado, 17 de agosto de 2019

Lampião, Morte e Mistério. Por Luis Bento

Morte e mistério
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e atividades ao ar livre
Próximo aos 81 anos da morte do mais temido cangaceiro, Virgolino Ferreira da Silva (Lampião) em 28/07/1938 na Grota do Angico, estado de Sergipe. 

Passados 81 anos, ainda continuamos o mesmo mistério. A morte de Lampião, a cada dia, vem se tornando motivo de maior polêmica na história do cangaço. Os mais estudiosos, historiadores e pesquisadores têm suas dúvidas em divulgar a natureza da morte de Lampião.

Pedro de Cândida, chave fundamental de jogo de sete cabeças, foi assassinado. O mesmo havia responsabilizado o tenente João Bezerra por envenenamento.

Os canoeiros, que fizeram a travessia das volantes, foram obrigados a retornarem às margens do rio. Para que se nada pudesse testemunhar. 
Os soldados volantes: compartilharam com o ataque simulante do contrário não seriam promovidos, nem faziam parte da divisão dos pertences dos cangaceiros (ouro, dinheiro, etc.)

Os cangaceiros sobreviventes da chacina, também for induzidos na farsa simulante do ataque. Caso não compartilhassem com o suposto ataque, não receberiam seu indulto com pena reduzida.

João Bezerra: expoente maior desse polêmico mistério. Era acusado pelas autoridades alagoanas em desvio de armas e munições do governo, com vendas clandestinas ao facínora cangaceiro Lampião. 

Em uma entrevista ao jornal alagoano, João Bezerra entrou em contradição em afirmar que, quando foi incumbido da missão de matar Lampião, o governo não estipulou a espécie de morte aplicada; claro, se estivesse que envenenar, envenenaria. Assim, poupava a vida minha e de seus soldados.

Afinal, como morreu Lampião
Dê sua sugestão: envenenamento ou bala ?

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e área interna

Crédito: Escritor: Luis Bento de Sousa 
(Lampião, figura controvérsia)

Nenhum comentário: