SEMALT

Mostrando postagens com marcador Amazonas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Amazonas. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Concurso TRT 11ª Região AM RR 2016/2017: Inscrições abertas para nível médio e superior! Até R$ 11.822,80!

Resultado de imagem para concursos Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, que compreende os Estados do Amazonas e Roraima, comunicou que recebe entre os dias 17 de novembro e 12 de dezembro de 2016, as inscrições do concurso público (Concurso TRT 11ª Região AM RR 2016/2017) que serve para preencher 63 vagas nos cargos de Técnico e Analista Judiciário, com requisito de nível médio e superior, respectivamente. Haverá ainda, formação de cadastro reserva para contratação conforme necessidade do órgão.

Cargos e Vagas

De acordo com o edital, 22 vagas são destinadas para Analista Judiciário nas áreas Administrativa, Judiciária, Oficial de Justiça Avaliador Federal, Arquitetura, Arquivologia, Contabilidade, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Estatística, Serviço Social, Tecnologia da Informação, Medicina do Trabalho, Psicologia e Odontologia Os salários chegam a R$ 10.119,93, com exceção da função de Oficial de Justiça Avaliador Federal, que tem remuneração de R$ 11.822,80.
O restante das vagas, 41, são destinadas aos cargos de Técnico Judiciário nas áreas Administrativa, Tecnologia da Informação e Enfermagem. Os salários chegam a R$ 6.167,99.
Os aprovados ainda contarão com auxílio-alimentação no valor de R$ 884,00.

Inscrição Concurso TRT 11ª Região AM RR 2016/2017

As inscrições podem ser feitas no endereço eletrônico oficial da organizadora. A taxa de inscrição custará:
  • Nível Médio: R$90,00; e
  • Nível Superior: R$120,00.
Fundação Carlos Chagas (FCC) coordenará o certame.

Avaliações

Os inscritos no concurso serão avaliados por provas objetivas, a serem aplicadas na data prevista de 19 de fevereiro de 2017, em Boa Vista (RR) e Manaus (AM). Os gabaritos serão divulgados no dia seguinte, a partir das 17h. Os locais e horários serão divulgados em data oportuna.
As provas terão questões de português, raciocínio lógico-matemático, noções de informática, regimento interno do TRT e conhecimentos específicos. A validade do concurso será de dois anos, com possibilidade de prorrogação por igual período.



domingo, 19 de junho de 2016

Concurso TRT 11ª Região AM-RR 2016 é autorizado!

concurso público do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (Concurso TRT 11ª Região AM-RR 2016) está autorizado. A Comissão do concurso recebeu da Desembargadora Presidente, Maria das Graças Alecrim Marinho, autorização para realização do concurso que servirá para preencher vagas de nível médio e superior, em diversos cargos no TRT. Além disso, foram divulgados os nomes dos membros da comissão organizadora. A decisão foi tomada em sessão administrativa realizada na última quarta-feira, 08 de junho de 2016.
A Comissão do Concurso TRT 11ª Região AM-RR 2016 tem objetivo de elaborar a minuta do edital e contratar a organizadora do certame que que ofertará vagas para os cargos de técnico e analista judiciário, com exigência de nível médio e superior, respectivamente. Os salários chegam a R$ 6.224 para técnico e R$ 9.662 para analista.

Expectativa do novo Concurso TRT 11ª Região AM-RR 2016

De acordo com a Diretoria de Gestão de Pessoas, no momento está sendo feito um estudo das necessidades de pessoal, por isso ainda não é possível informar quais as áreas serão contempladas. Entretanto, é certo que haverá oportunidades para técnico judiciário administrativo, que exige apenas o nível médio, sem necessidade de formação técnica.
Com a comissão já formada, cresce a expectativa de abertura do concurso. E de acordo com a Diretoria de Gestão de Pessoas, no momento está sendo feito um estudo das necessidades de pessoal, por isso ainda não é possível informar quais as áreas serão contempladas. Porém, já se sabe que haverá oportunidades para técnico judiciário, cargo que tem requisito de nível médio.

Último Concurso TRT 11ª Região AM-RR

O último concurso realizado pelo Tribunal foi em 2011. Na ocasião, foi coordenado pela Fundação Carlos Chagas (FCC). O certame contou com 69 vagas, sendo 39 para técnico judiciário (áreas administrativa, tecnologia da informação e enfermagem) e 30 para analista judiciário (áreas judiciária, administrativa, execução de mandados, tecnologia da informação, arquitetura, engenharia civil e arquivologia).
Do quantitativo de vagas oferecidas para técnico judiciário, 37 foram para a área administrativa, o que demonstra que essa é a carreira que o TRT-AM/RR costuma ter maior necessidade de pessoal. Além disso, houve formação de cadastro reserva (convocação conforme necessidade). Os inscritos foram avaliados por prova objetiva com 60 questões, sendo 25 de Conhecimentos Básicos e 35 de Conhecimentos Específicos.
Assim que o edital for publicado, o Notícias Concursos trará todas as informações referente ao certame. Fique ligado (a)!

domingo, 10 de maio de 2015

COVARDIA, POLICIAIS DO AMAZONAS ESPANCAM JOVENS E CÂMARA REGISTRAM TUDO

Agressão e tortura : As famílias de três jovens denunciaram três policiais da Força Tática, o crime teria sido ocorrido na madrugada da última – quarta-feira ( 06), na Zona Norte de Manaus, na Comunidade Cidade de Deus, os jovens foram agredidos com pauladas, socos e pontapés.
Todos eles ficaram com hematomas pelo corpo, as câmeras de segurança de uma pizzaria que fica próxima ao local do ocorrido registrou toda a ação dos policiais.
Os policiais desceram da viatura e abordaram o auxiliar de Padaria de 22 anos, que estava lanchando, segundo o rapaz agredido, eles foram logo pedindo para que ele ficasse de joelhos e um dos policias pegou um pedaço de madeira e bateu brutalmente nas costas e nádegas do rapaz.
A Adolescente C.C.S de 15 anos  também foi agredida nas costas e nádegas, sendo obrigada a tirar a roupa na frente dos militares e depois obrigada a bater nos colegas.
“Eles mandaram eu ficar sem roupa e mandaram eu me abaixar. Um deles chegou a encostar o cuturno nas minhas partes íntimas, mas eu levantei. Depois eles mandaram eu bater nos meninos, senão eu ia apanhar mais. Tive que bater”
O caso foi registrado no 18º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no Novo Israel, Zona Norte. Ontem, as vítimas também denunciaram o caso à Corregedoria.
Segundo o corregedor auxiliar da Polícia Militar coronel Euler Cordeiro disse que a denúncia chegou à Corregedoria na manhã desta quinta-feira (7)o caso foi encaminhado ao Comando Geral da Polícia Militar para que seja instaurado um Inquérito Policial Militar (IPM).
As vítimas foram ouvidas e apresentaram fotografias das lesões causadas pela ação de  espancamento. Na corregedoria foi instaurada uma sindicância para verificar a conduta disciplinar dos policiais envolvidos e foi solicitado o afastamento dos policiais autores da agressão.
A ação dos policiais pode ser vista no mínimo como lesão corporal, mas também como tortura ou abuso de autoridade.

Extraído do blog CAPOEIRENSE

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Deputado quer que “piroca”, “xibiu” e outros sejam patrimônio imaterial do Amazonas

O deputado estadual Wanderley Dallas (PMDB-AM) apresentou à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas um projeto de lei que propõe que palavras como “piroca”, “cabaço”, “baitola”, “pinguelo” e “xibiu” se tornem patrimônio imaterial do Estado. Integrante da bancada evangélica, o peemedebista listou os termos junto a dezenas de outros, copiados do livro “Amazonês”, do acadêmico Sérgio Freire, que pesquisa a linguagem da região.

Veja texto completo em FOLHA Extraído do blog DO BG

sexta-feira, 20 de junho de 2014

COMPARTILHEM: COMPLEXO VIRA-LATA: INGLÊS CAGANDO DENTRO DO ARENA AMAZONAS

Você acha que pelo fato de ser estrangeiro é mais educado, superior do que o povo Brasileiro? Não sei se estava fazendo outra coisa, para mim estava cagando dentro do ARENA AMAZONAS, e isso demonstra o nível de educação de alguns turistas. Somos discriminados dentro do nosso país, Espanhóis chamando o povo de macaco, presepadas como esta, invasão de campo, brigas e o país fazendo bonito fora de campo. Somos grandes e precisamos pensar no Brasil como uma grande potência para que o gringo prepotente baixe a bola e nos respeite. É esse complexo vira-lata que coloca o Brasileiro inferior a qualquer nação, que esse tipo de comportamento seja publicado nos blogs e redes sociais. COMPARTILHEM!!!



domingo, 16 de fevereiro de 2014

Em uma semana, concursos abrem 21 mil vagas

Os concursos abertos nesta semana oferecem 21 mil oportunidades de trabalho para quem pretende iniciar ou continuar uma carreira no serviço público. No acumulado das últimas semanas, são 44 mil vagas disponíveis.
Sozinha, a Secretaria de Saúde do Amazonas concentra 11.464 vagas para vários profissionais, como médicos, biólogos, fisioterapeutas e químicos. A secretaria oferece oportunidades ainda para trabalhadores de outras áreas, como geógrafos, jornalistas, advogados e pedagogos. Os salários variam de R$ 3.502 a R$ 7.691 por mês.
O mesmo concurso abre vagas para profissionais de nível médio, como técnicos em enfermagem e radiologia, auxiliar de farmácia, programador e assistente administrativo. Os salários variam de R$ 1.400 a R$ 1.655 por mês. Há também vagas de nível fundamental, como vigias, telefonistas e operadores, com salários a partir de R$ 1.294 a R$ 1.492 mensais.
As inscrições se encerram em 24 de março. As provas estão previstas para 18 de maio.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Virgindade de meninas índias vale R$ 20 no Amazonas


Em São Gabriel da Cachoeira, um pequeno município amazonense situado na fronteira do Brasil com a Colômbia, a virgindade de uma menina índia vale R$ 20, mas pode ser negociada também por um aparelho celular, uma roupa de marca ou até mesmo uma mísera caixa de bombons, situação denunciada às autoridades em 2008 e que as famílias envolvidas acham que vai se transformar em mais uma página virada na triste história das comunidades indígenas da região.

Segundo informações passadas pela Polícia Civil, três inquéritos chegaram a ser abertos, mas até agora nenhum dos suspeitos foi preso ou sequer indiciado.


De acordo com o delegado encarregado das investigações, só um teve a prisão preventiva decretada, mas fugiu. Os outros nunca foram chamados.


Os crimes sexuais contra vulnerável, onde se inclui o estupro, estão previstos no artigo 217-A, do Código Penal, introduzido pela Lei nº 12.015, de 07 de agosto de 2009, cujas penas variam entre 8 (oito) e 15 (quinze) anos de reclusão, e neles incorre quem pratica "conjunção carnal" ou outro "ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos”.


Irmã Giustina Zanato

A presidente do Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente do município, irmã Giustina Zanato, de 63 anos, afirma que os casos vêm sendo denunciados desde 2008.

- Fomos procurar a Justiça. Lá disseram que deveríamos ficar quietinhos no nosso lugar, que isso acontecia todos os dias - diz Giustina.

Cristina Dolzany, promotora de justiça em exercício naquela cidade chegou a ouvir dez meninas:

- É uma coisa animalesca e triste, algumas delas relatam que perderam a virgindade nessa situação de exploração - explicou a representante do Ministério Público.

Face à omissão (não encontrei outro termo mais adequado´para usar aqui) das autoridades locais, a Polícia Federal teria assumido as investigações há cerca de um mês, já tendo ouvido os depoimentos de doze meninas, que afirmam terem sido exploradas sexualmente e apontam nove homens como os autores do crime. Como normalmente acontece, entre os facínoras há empresários do comércio local, um ex-vereador, dois militares do Exército e um motorista. Tudo gente muito boa!

As vítimas, ao contrário, são meninas pobres das etnias tariana, uanana, tucano e baré, que vivem na periferia de São Gabriel da Cachoeira, que tem 90% (noventa por cento) de sua população, cerca de 38 mil pessoas, formada por índios. Entre as garotas brutalizadas, isso também não é novidade, já há algumas sob a ameaça dos criminosos, o que as fez buscar abrigo em casa de familiares. Cinco dessas meninas, cujos nomes são identificados com iniciais fictícias por razões de segurança, resolveram contar suas histórias.

M., de 12 anos, conta que sua virgindade foi "vendida" para um ex-vereador, que tratou tudo por intermédio de uma prima dela, também adolescente.

- Ele me levou para o quarto e tirou minha roupa. Foi a primeira vez, fiquei triste - contou a menina, explicando que o homem é casado e tem filhos.

- Ele me deu R$ 20 e disse para eu não contar a ninguém.

P., de 14 anos, afirma ter estado duas vezes com um comerciante da cidade.

- Ele me obrigou. Depois me deu um celular.

Outra indiazinha, L., de 12 anos, explicou ela e outras meninas ganharam chocolates, dinheiro e roupas de marca em troca da virgindade.

- Na primeira vez fui obrigada, ele me deu R$ 30 e uma caixa com chocolates.

Outra garota, X., de 15 anos, disse que presenciou encontros de sete homens com meninas de até dez anos.

- Eu vi meninas passando aquela situação, ficando com as coxas doloridas. Eles sempre dão dinheiro em troca disso (da virgindade).

P. aceitou depor na Polícia Federal depois de ser ameaçada por um dos suspeitos.

- Ele falou que se continuasse denunciando, eu iria junto com ele para a cadeia. Estou com medo, ele fez isso com muitas meninas menores - afirma a jovem.

Familiares e conselheiros tutelares que defendem as adolescentes também são ameaçados.

- Eles avisaram: se abrirem a boca a gente vai mandar matar - diz a mãe de uma menina de 12 anos.

Em muitas aldeias da região, também conhecida como Cabeça do Cachorro, formadas por casebres com chão de terra batida, não há escolas e até mesmo opções de sobrevivência, já que o ambiente índio vem sendo devastado. A opção é a cidade, onde os brancos formam a elite de funcionários públicos e militares. É lá que as meninas caem nas armadilhas!

Falar em impunidade no Brasil quando as vítimas de um crime são cidadãos comuns das grandes metrópoles, todo mundo sabe, já é complicado. Imagine você, então, discutir impunidade quando a vítima é um índio, e principalmente, mulher...

Fonte: Folha São Paulo