DATAHOSTING

PARTNER

Mostrando postagens com marcador Lava a jato. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Lava a jato. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 18 de maio de 2017

É preciso "rasgar" à Constituição e soerguer este país, tomar das mãos dos corruptos!

Resultado de imagem para ratos políticos chargePrecisamos urgente de uma nova Constituição, reconstruir um país destruído pelos corruptos!
Os últimos acontecimentos, escândalos, desvios e desmandos necessitam que os governantes e governados reflitam, tomem vergonha na cara e reconheçam que chegou a hora de um novo tempo para o nosso país, “rasgar” à Constituição substituindo por uma nova.

O modelo arcaico de gestão, às más práticas da política transformaram um país num barril de pólvora que está prestes a explodir! Precisamos de novas eleições sem a participação dos indiciados nos esquemas de lavagem de dinheiro, não podemos mais tolerar nenhum corrupto, hora de desconstruir e desarticular essas quadrilhas suprapartidárias que levou o país ao caos, à miséria e o desmanche empobrecendo às instituições! Que tudo isso sirva de lição a todos os brasileiros, não há mais clima para continuar com tantos desmandos! 

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

PF indicia Lula, Palocci, Marisa e outras quatro pessoas na Lava Jato

Ver as imagens
A Polícia Federal decidiu indiciar o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, a ex-primeira dama Marisa Letícia e outras quatro pessoas, na Operação Lava Jato, de acordo com informações do portal G1.
Além dos três citados acima foram indiciados: Glaucos da Costa Marques, sobrinho do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula já condenado na operação; Demerval de Souza Gusmão Filho, dono da empresa DAG Construtora; Roberto Teixeira, advogado do ex-presidente, e Branislav Kontic, assessor do ex-ministro Palocci.
Lula foi indiciado pelo crime de corrupção passiva, enquanto todos os demais foram indiciados por lavagem de dinheiro.
O indiciamento trata de dois casos distintos: o primeiro é sobre a compra de um terreno, que seria usado para a construção a sede do Instituto Lula. O segundo é sobre o aluguel do apartamento que fica em frente ao que o ex-presidente mora. Segundo a PF, ambos casos tratam de pagamento de propina da construtora Odebrecht ao ex-presidente.
Anteriormente, as investigações eram diferentes, no entanto, o delegado Márcio Adriano Anselmo, que produziu a peça, considerou que deveria unir as investigações, por se tratarem dos mesmos fatos.
De acordo com a investigação, o ex-ministro Palocci operava distribuindo a propina da Odebrecht ao PT. A Polícia diz que ele usava de influência para atuar em favor dos interesses da empreiteira junto ao governo.
Ainda conforme a PF, Lula foi um dos beneficiários, sendo que parte dela foi utilizada para comprar o terreno para a construção da sede do Instituto Lula. A empresa DAG adquiriu o terreno, contudo a entidade não alterou o local referido.
Fonte: Yahoo Notícias

domingo, 4 de dezembro de 2016

Manifestações a favor da Lava Jato reúnem milhares de pessoas neste domingo

Manifestantes protestam na Avenida Paulista, em São Paulo, na tarde deste domingo (4), em apoio à operação Lava Jato e contra as mudanças no projeto de lei que trata das 10 medidas de combate à corrupção (Foto: Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão Conteúdo)

Manifestantes protestam na Avenida Paulista, em São Paulo, na tarde deste domingo (4), em apoio à operação Lava Jato e contra as mudanças no projeto de lei que trata das 10 medidas de combate à corrupção (Foto: Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão Conteúdo)combate à corrupção (Foto: Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão Conteúdodão Conteúdo)
As manifestações a favor da Operação Lava Jato e contra a corrupção neste domingo (4) aconteceram de forma pacífica e reuniram milhares de pessoas em todos os 26 estados mais o Distrito Federal. Até as 19h55, os atos foram registrados em 81 cidades e haviam mobilizado 75 mil pessoas, segundo a Polícia, e 474 mil, segundo organizadores. Veja o mapa das manifestações
G1 acompanhou em tempo real os atos pelo país. Veja como foi a cobertura dos protestos
Vestidos principalmente de verde e amarelo, os manifestantes defenderam, entre outros, as dez medidas contra a corrupção propostas pelo Ministério Público Federal. Alguns seguraram faixas em defesa da operação Lava Jato e do juiz Sérgio Moro.
Os alvos principais do protesto foram os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O presidente Michel Temer foi poupado.
Em notas separadas divulgadas durante a tarde, Renan disse que as manifestações são "legítimas" e "devem ser respeitadas", Maia informou que a Casa “recebe com atenção e respeito" as manifestações ocorridas neste domingo, e Temer considerou os atos como "comportamento exemplar" e disse que "demonstra o respeito cívico que fortalece ainda mais nossas instituições".
Fonte: G1


quinta-feira, 23 de junho de 2016

31ª fase da Operação Lava Jato prende ex-ministro Paulo Bernardo em Brasília

O ex-ministro Paulo Bernardo foi preso nesta quinta-feira (23) na 31ª fase da  Operação Lava Jato, em Brasília. Um mandado de busca e apreensão também está sendo cumprido na casa da senadora Gleisi Hoffmann, em Curitiba.
Policiais federais também estão na sede do PT no Centro de São Paulo.A Polícia Federal indiciou Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, ao concluir o inquérito sobre as suspeitas de que dinheiro desviado da Petrobras abasteceu em 2010 a campanha ao Senado da parlamentar.
Ver as imagens
A defesa do ex-ministro disse que desconhece as razões da prisão, e que estranha porque Paulo Bernardo sempre se colocou à disposição das autoridades.A PF afirma ter indícios suficientes contra Gleisi e o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, por suposto envolvimento em crime de corrupção.
As conclusões da Polícia Federal foram anexadas ao inquérito 3979, que tramita no Supremo Tribunal Federal , na Operação Lava Jato.
A PF entendeu que há indícios suficientes de que a campanha de Glesi recebeu R$ 1 milhão em propina. Um novo delator , Antonio Carlos Pieruccini, informou que transportou o dinheiro, em espécie, de São Paulo para Curitiba em quatro viagens e que entregou a quantia para Ernesto Kugler,  empresário que seria próximo de Gleisi.
Segundo a PF, as entregas ocorreram na casa de Kugler e em empresas das quais é sócio.E que o empresário e o então tesoureiro da campanha de Gleisi, Ronaldo da Silva Baltazar,  se falaram por telefone pelo menos 25 vezes.
Segundo o relatório da Polícia Federal, mostrado pela TV Globo , o suposto pedido de dinheiro para a campanha de Gleisi teria sido feito ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa quando Paulo Bernardo era ministro do Planejamento do governo Lula e só porque o ex-ministro teria conhecimento do esquema de desvios na Petrobras.
Foto: Ale Silva/ Futurapress/ extraída Yahoo Notícias-redação

terça-feira, 7 de junho de 2016

MINISTRO HENRIQUE ALVES ENVIA NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE À LAVA JATO!

A Folha de São Paulo desta segunda-feira (6) repete informações veiculadas pelo mesmo jornal em 19 de dezembro de 2015 e 3 de maio de 2016 sem qualquer fato novo que justifique. Mesmo identificando motivações políticas em sua publicação, não poderia silenciar diante de tamanho absurdo, o que provarei quando tiver conhecimento do inteiro teor do inquérito – e não de destaques dolosos e de má fé – ou quando ao menos tiver recebido a preliminar citação.
Sobre as relações com políticos e empresários todas são pautadas pela ética, cordialidade, respeito recíprocos e a liturgia institucional do cargo público ocupado.

Rodrigo Janot pede prisão de Renan, Sarney e Jucá

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do senador Romero Jucá (PMDB-RR), por tentarem interferir nas investigações da Operação Lava Jato.


Rodrigo Janot

Rodrigo Janot
Foto: Agência Brasil
Segundo publicou o jornal O Globo nesta ter­ça-feira (7), o ministro do STF Teori Zavascki já teria recebido o pedido de prisão há uma semana.
Citando um interlocutor de ministros do STF, o jornal afirma que o procurador-geral também pediu o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado, utilizando argumentos semelhantes aos que levaram à suspensão do mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) como presidente da Câmara.
Em conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, os senadores e o ex-presidente discutiam meios de barrar as investigações. As suspeitas são consideradas mais graves do que os motivos que levaram à prisão do senador Delcídio do Amaral, em novembro.
Segundo a fonte citada pelo jornal, cujo nome não foi divulgado, Delcídio teria tentado manipular a delação do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró enquanto Sarney, Renan e Jucá planejavam bloquear a Lava Jato.
Após firmar acordo de delação premiada, Machado afirmou que teria distribuído 70 milhões de reais em propinas para Sarney, Renan, Jucá e outros políticos do PMDB, como os senadores Edison Lobão e Jader Barbalho, nos 12 anos em que esteve na Transpetro.
Os ministros do STF devem decidir se o presidente do Senado ainda possui os requisitos para permanecer no cargo e na linha sucessória da presidência da República. O processo contra Eduardo Cunha poderá servir de base para a decisão dos ministros do Supremo, onde Renan é alvo de 12 inquéritos.
Sarney teria exercido papel decisivo no processo de impeachment da presidente Dilma Roussef, Mesmo sem mandato, o ex-presidente possui forte influência tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado.
O pedido de prisão foi irá depender da decisão do plenário do STF. Segundo O Globo, o ministro Teori já teria conversado com seus colegas some o tema. Esta seria a primeira vez que um procurador-geral da República pede o afastamento e a prisão de um presidente do Senado.
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter