DATAHOSTING

Mostrando postagens com marcador Lula. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Lula. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 21 de março de 2017

Blogueiro que antecipou notícias sobre Lula é levado para depor a pedido de Moro

Unsplash/Pixabay
DA AGÊNCIA BRASIL – O blogueiro Eduardo Guimarães, responsável pelo Blog da Cidadania, foi conduzido coercitivamente hoje (21) para depor na Superintendência da Polícia Federal (PF) em São Paulo. Segundo a PF, ele foi levado para prestar declarações como parte de um inquérito aberto na Justiça Federal no Paraná.  Por meio de sua assessoria, o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, informou que solicitou o depoimento de Guimarães porque ele é alvo em uma investigação que apura a quebra de sigilo criminal.
Guimarães afirma que foi questionado a respeito do vazamento de informações da operação em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado para depor, também sob condução coercitiva, em 4 de março de 2016. Dias antes, em 28 de fevereiro, o blogueiro havia antecipado a ação, informando que o sigilo bancário de Lula e de familiares dele havia sido quebrado e que o ex-presidente sofreria busca e apreensão nos imóveis de sua família. De acordo com a Justiça Federal no Paraná, o inquérito busca identificar os agentes públicos que teriam ajudado a divulgar as informações sobre a operação contra o ex-presidente Lula antes que ela ocorresse.
Ainda de acordo com Moro,  o blogueiro não pode ser considerado jornalista e por isso não está protegido pelo dispositivo constitucional do sigilo da fonte. “As diligências foram autorizadas com base em requerimento da autoridade policial e do MPF [Ministério Público Federal] de que Carlos Eduardo Cairo Guimarães não é jornalista, independentemente da questão do diploma, e que seu blog destina-se apenas a permitir o exercício de sua própria liberdade de expressão e a veicular propaganda político-partidária”, argumentou.
Por meio das redes sociais, Guimarães protestou contra a ação de hoje. “É lamentável viver em um país em que a liberdade de imprensa está sendo pisoteada. E em que pessoas comprometidas com a informação e com a democracia sejam submetidas a todo tipo de constrangimento, por via da lei”, disse em sua página no Facebook. O blogueiro diz ainda que foram apreendidos pelos policiais dois celulares, o seu e de sua mulher, um computador e um pendrive.
Na ocasião, Lula foi levado do seu apartamento, em São Bernardo do Campo, para prestar depoimento no escritório da Polícia Federal no Aeroporto de Congonhas, zona sul da capital paulista. Como parte da 24ª fase da Operação Lava Jato, também foram expedidos mandados de busca em diversos endereços do ex-presidente, acusado de receber vantagens indevidas de empreiteiras investigadas na operação policial.
Fontes: Agência Brasil/Yahoo Notícias

sábado, 25 de fevereiro de 2017

POSTAGEM FALSA: cagaram no túmulo da esposa do ex-presidente Lula

Falso: postagem que supostamente aparece o ex-presidente Lula se manifestou através das redes sociais contra o desrespeito de um indivíduo que resolveu fazer suas necessidades em cima do túmulo de Dona Marisa não é verdadeira. Vilipêndio: O vilipêndio de cadáveres é considerado crime contra o respeito aos mortos, previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro.
O ato de vilipendiar cadáveres ou suas cinzas, pode ser punido entre um a três anos de reclusão e pagamento de multa.
Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940. Que o responsável pelo ato seja preso e responsabilizado. Nem tudo que é postado nas redes sociais é verídico, fica à dica, antes de sair compartilhando tudo o que vê na internet. 

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Lula lidera pesquisa para 2018 impulsionado por ‘efeito Marisa Letícia’

 | Filipe Araújo/Fotos PublicasSe as eleições presidenciais fossem hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceria a disputa com os demais adversários, segundo pesquisa CNT/MDA divulgada nesta quarta-feira (15) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT).
De acordo com o levantamento, Lula apresenta hoje 30,5% das intenções de votos contra 11,8% de Marina Silva (Rede); 11,3% do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparece apenas como quarto colocado, com 10,1%. Ciro Gomes (PDT-CE) tem 5% e o presidente Michel Temer conta com 3,7%.
A soma dos votos branco/nulo ou indecisos chega a 27,6%. Esses valores têm como base a consulta de intenção de voto estimulada, quando os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados.
No cenário de consulta espontânea, quando não é apresentado nenhum nome aos entrevistados, Lula também lidera com 16,6% as intenções. Neste caso, Bolsonaro aparece em segundo com 6,5% e Aécio Neves em terceiro, com 2,2%. A soma de branco/nulo ou indecisos chega, contudo, a 67,8%.

Morte de Marisa Letícia impulsionou Lula

“O presidente Lula ganha hoje em todos os cenários. Se as eleições fossem hoje, facilmente seria eleito como presidente da República. Há também um crescimento bastante significativo do Jair Bolsonaro, que mostra esse nicho de pessoas que pensam de forma diferente da média”, afirmou o presidente da CNT, Clésio de Andrade.

Na avaliação dele, também pesa a favor de Lula o fato de a pesquisa ter sido realizada após a morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia. “Não tem dúvida. Estamos chegando à conclusão de que todos os aspectos pesaram. O passionalismo, a comoção e provavelmente alguma coisa de saudade dos bons tempos do Lula”, considerou.
Filipe Araújo/Fotos Publicas/GAZETA DO POVO

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

A FOTO ENTRE LULA E FERNANDO HENRIQUE CARDOSO DISPENSA COMENTÁRIOS E LEGENDAS!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e terno
A vida é passageira, um dia chegará a morte para todos os seres humanos. Por mais doloroso que seja ela é justa. Não há distinção entre pobres e ricos, brancos, negros, pardos, amarelas, todos teremos o mesmo destino.

Após a morte clínica da dona Marisa, ex-primeira dama do brasil, mensagens de ódio e intolerância foram postadas em redes sociais em razão dos escândalos do PT e associadas ao ex-presidente Lula.

A foto apenas ilustra que políticos são apenas adversários, jamais inimigos, concorda?

Foto: Roberto Stuckert/Reprodução Facebook

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

PF indicia Lula, Palocci, Marisa e outras quatro pessoas na Lava Jato

Ver as imagens
A Polícia Federal decidiu indiciar o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, a ex-primeira dama Marisa Letícia e outras quatro pessoas, na Operação Lava Jato, de acordo com informações do portal G1.
Além dos três citados acima foram indiciados: Glaucos da Costa Marques, sobrinho do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula já condenado na operação; Demerval de Souza Gusmão Filho, dono da empresa DAG Construtora; Roberto Teixeira, advogado do ex-presidente, e Branislav Kontic, assessor do ex-ministro Palocci.
Lula foi indiciado pelo crime de corrupção passiva, enquanto todos os demais foram indiciados por lavagem de dinheiro.
O indiciamento trata de dois casos distintos: o primeiro é sobre a compra de um terreno, que seria usado para a construção a sede do Instituto Lula. O segundo é sobre o aluguel do apartamento que fica em frente ao que o ex-presidente mora. Segundo a PF, ambos casos tratam de pagamento de propina da construtora Odebrecht ao ex-presidente.
Anteriormente, as investigações eram diferentes, no entanto, o delegado Márcio Adriano Anselmo, que produziu a peça, considerou que deveria unir as investigações, por se tratarem dos mesmos fatos.
De acordo com a investigação, o ex-ministro Palocci operava distribuindo a propina da Odebrecht ao PT. A Polícia diz que ele usava de influência para atuar em favor dos interesses da empreiteira junto ao governo.
Ainda conforme a PF, Lula foi um dos beneficiários, sendo que parte dela foi utilizada para comprar o terreno para a construção da sede do Instituto Lula. A empresa DAG adquiriu o terreno, contudo a entidade não alterou o local referido.
Fonte: Yahoo Notícias

domingo, 27 de novembro de 2016

Em discurso, Lula comete ato falho e admite ter triplex

Durante um discurso em um congresso da Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) em Serra Negra (SP), o ex-presidente Lula resolveu atacar a Força-Tarefa da Operação Lava Jato e a imprensa, em um dos momentos mais impactantes de sua fala ele chegou a comparar a atenção dada às denúncias contra ele e contra o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, pela compra de um apartamento em Salvador (BA) e “admite” ser dono do triplex do Guarujá (SP), segundo informações do jornal o Estado de S.Paulo.
“Vocês percebem que não dão destaque ao apartamento do Geddel como deram ao meu triplex”, afirmou Lula, a plateia do congresso.
De acordo com ele, a mídia e os investigadores da Operação Lava Jato estão em uma campanha para demonizar sua imagem. Ele ainda se referiu aos procuradores do Ministério Púbico Federal como “moleques” que produziram uma acusação contra ele por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. “Quando essa molecada não tinha nascido, eu já fazia greves”, disse o ex-presidente.
Segundo o petista, os meios de comunicação e os procuradores inventam mentiras diárias contra ele e ainda atacou o juiz Sérgio Moro. “Moro, ao invés de tentar aceitar ou não pelos autos, orienta como eles (a PF) têm que fazer”, esbravejou. O ex-presidente disse que entrou com um processo contra o magistrado pela “invasão que fez na minha casa” e que também acionou na justiça contra o delegado que “falou que ele peguei dinheiro em Angola” e contra o “cidadão do Ministério Público que disse que Lula criou o PT, que é organização criminosa e eu chefe, e que afirmou: não tenho prova, mas tenho convicção”.
Ainda em seu discurso, Lula disse que irá entrar com um processo contra alguns meios de comunicação, mas que isso pode demorar. Ele ainda aproveitou a oportunidade para conclamar os militantes a discutirem um projeto para o Brasil e reformular políticas de educação, que de acordo com ele, teriam sido desfeitas pelo governo de Michel Temer.
No fim de sua explanação, o ex-presidente ainda disse que o PT não está sendo atacado “pelas coisas ruins que algum petista fez, mas pelas coisas boas que nós provamos que podemos fazer pelo país”.
Confira um trecho do vídeo em que Lula comete um ato falho e admite ter um triplex.
Fonte: Yahoo Notícias

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Delcídio fala com exclusividade a este blog: Lula sabia de tudo

Delcídio rompe o silêncio: Lula participava de perto do que ocorria na Petrobras
Processado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pede indenizações por danos morais, o ex-senador e delator da Lava Jato Delcídio do Amaral rompeu o silêncio de meses e disse em entrevista exclusiva à este blog que Lula acompanhava de perto o que ocorria na Petrobras durante seu governo.se “Lula é o pai do mensalão e do petrolão”, o ex-parlamentar do PT que presidiu a CPMI do mensalão em 2005 ironiza: “Lula nunca sabe de nada, no petrolão também”. E ressalta: “Mas, claro, ele era um presidente protagonista, atuante. Tinha um perfil diferente”. “No caso do mensalão, efetivamente, as provas são contundentes, tanto é que foram reconhecidas (…). Ficou muito claro quem era quem nesse processo (do mensalão)”, declarou Delcídio.


“Agora, em relação à Petrobras é inegável. A Petrobras sempre teve influência política. Dizer que isso começou agora não é verdade. Como também corrupção e caixa dois não são privilégio do PT, do PMDB, isso já existe, existia”, ressaltou Delcídio, que também foi ministro de Minas e Energia entre 1994 e 1995. “No caso do governo Lula, a Petrobras teve uma participação muito mais ampla do governo. Era uma política de Estado, (de ter) a Petrobras como alavancadora do desenvolvimento e do crescimento do País”, lembrou o ex-petista, que sempre teve bom trânsito no Planalto.
“Então isso naturalmente exigia um acompanhamento claro e um posicionamento muito mais próximo de um presidente da República e de seus ministros do que em outros governos”, afirmou Delcídio do Amaral. “Ou seja, Lula acompanhava de perto?”, perguntei. “Acompanhava. Isso é claro, isso eu vi bem”, reiterou.
“Pós-mensalão”
Delcídio disse acreditar que a derrocada da Petrobras e do governo lulopetista se deu “pós-mensalão”. “Quando vem o mensalão, o governo Lula teve que se rearrumar internamente, começa a compartilhar o seu governo e escolhe o PMDB como seu parceiro principal”, lembrou. “Consequentemente a Petrobras passa a ter um papel do ponto de vista político, sob o ponto de vista do azeitamento da máquina política e de sustentação do governo”.
“Ação ampla”
Delcídio comentou também, durante a entrevista, outra acusação que fez ao ex-presidente em sua delação premiada à Operação Lava Jato.
O ex-senador falou em seu depoimento à força-tarefa que partiu de Lula a ordem “expressa” para oferecer dinheiro à família do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, a fim de que este não fizesse delação premiada nem citasse o suposto esquema de compra de sondas superfaturadas pela estatal com o amigo do ex-presidente, o pecuarista José Carlos Bumlai. Bernardo Cerveró, filho de Nestor, gravou a conversa com Delcídio que levou à prisão do ex-senador em novembro do ano passado por tentar obstruir a justiça.
“Na verdade era uma grande articulação, não era só com relação ao Lula e Bumlai”, disse Delcídio, sobre o suposto plano do então governo Dilma de abafar a operação que atingia o núcleo do governo. “(Era um) pedido específico do Lula, mas também era uma ação de governo, muito mais ampla”, afirmou.
Esta é específica da resposta sobre o processo do Lula. As outras duas (geral falando de ‘romper o silêncio’ e outra sobre a Lava Jato) mando em breve.


Processado, Delcídio diz que defesa de Lula “bate na tese da vitimização”
Processado por danos morais pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador e delador da Lava Jato Delcídio do Amaral respondeu: “é uma estratégia dos advogados batendo na tese da vitimização e tentando desqualificar (a delação em que Delcídio cita Lula). Nós já esperávamos esse tipo de atitude”, afirmou.

“Só que as investigações já estão muito avançadas em função da delação que eu prestei. Portanto, 'tudo como dantes no quartel de Abrantes’. Não alterou absolutamente nada”, disse Delcídio em entrevista exclusiva ao Yahoo!
Delcídio falou em seu depoimento à força-tarefa da Lava Jato que partiu de Lula a ordem “expressa” para oferecer dinheiro à família do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, a fim de que este não fizesse delação premiada nem citasse o suposto esquema de compra de sondas superfaturadas pela estatal com o amigo do ex-presidente, José Carlos Bumlai. Bernardo Cerveró, filho de Nestor, gravou a conversa com Delcídio que levou à prisão do ex-senador em novembro do ano passado por tentar obstruir a justiça.
Também em depoimento aos procuradores, o ex-senador petista e ex-líder do governo disse que Lula tinha conhecimento do esquema de propinas e corrupção que permeava a petrolífera brasileira.
Na entrevista exclusiva, o ex-senador destacou ainda que Lula “era um presidente protagonista, atuante”, especialmente em questões relacionadas à Petrobras, que, segundo Delcídio, era usada “como política de Estado para alavancar o crescimento”.
A ação
Lula pede R$ 1,5 milhão de indenização por danos morais de Delcídio. Segundo os advogados, Delcídio “mentiu ao dizer que Luiz Inácio Lula da Silva agiu para obstruir a Justiça”.
A ofensiva de Lula contra seu ex-companheiro foi decidida com base, de acordo com os advogados do ex-presidente, nos relatos de cinco depoentes da audiência pública ocorrida em 8 de novembro na 10.ª Vara Federal de Brasília.
“Foram unânimes ao reconhecer que Lula jamais tentou interferir, direta ou indiretamente, na delação premiada de Nestor Cerveró, ao contrário do que fora afirmado por Delcídio Amaral”, sustentam os advogados de Lula.
Delcídio afirma que fez delação “focada” e “jamais falaria” de quem estava “sofrendo”
O ex-senador Delcídio do Amaral, cuja delação fragilizou o governo Dilma Rousseff, relembrou quando decidiu ser colaborador da Operação Lava Jato e assumiu: “fiz uma colaboração muito focada”, negando ter “atirado para todo lado”.
Delcídio disse que decidiu delatar “na primeira semana, no primeiro dia talvez". “Quando eu vi aquele processo de desqualificação, eu mesmo disse aos procuradores e delegados da PF: se eu estou atrapalhando vou tratar de desatrapalhar”.
Então, o ex-líder do governo Dilma no Senado explicou que assumiu “uma postura muito clara” e contou: “ACM, quando era senador comigo, disse: 'Delcídio, se um dia você for brigar com alguém, brigue com gente grande, não briga com gente pequena não’. "Eu tinha um nível de informação das pessoas grandes, que comandavam o processo, por ser líder do governo e sempre ter uma base forte com oposição, base e empresariado”, afirmou.
Questionado quem eram os principais alvos de seu depoimento, Delcídio lembrou: “Dilma, Lula e algumas lideranças políticas importantes tanto do PT, PMDB e alguns partidos de oposição”.
“Mas eu me restringi a esse universo. Ficar atacando os outros, que já estão sofrendo por causa disso e fizeram muitas coisas até a mando daqueles que estavam posando de éticos ou com aquele discurso hipócrita, esses eu jamais falaria”, ressaltou Delcídio do Amaral.
Ex-líder do governo e ex-confidente da ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-senador Delcídio do Amaral, cuja delação premiada ajudou a derrubar o governo da petista, disse que a avisou sobre os perigos da corrupção na Petrobras e da Operação Lava Jato.
“Por muitas vezes eu conversei com ela sobre isso, alertando para as consequências, que isso ia acabar resvalando nela”, contou Delcídio em entrevista exclusiva.
Segundo o ex-senador, Dilma “tinha alguns conselheiros palacianos que tinham uma visão contrária, gente que não tem visão política”. Delcídio ainda ressaltou que esses assessores teriam dito para petista: “deixa rolar as coisas, que isso não te atinge. Vai haver uma razia dentro do congresso, dos partidos e do próprio PT e você finalmente vai ter o seu governo, o governo Dilma".
Delcídio classificou a postura de Dilma como um “equívoco fatal” e declarou: “a vida é implacável com quem dorme”.
Fonte: Blog do Tognolli

Acesse Geralinks e cadastre seu blog hoje mesmo.

domingo, 12 de junho de 2016

Se o ex-presidente Lula é tão ruim como à mídia prega, como explicar a liderança nas pesquisas eleitorais para 2018?

Parafraseando Nicolau Maquiável, “fale mal ou bem de mim, mas, fale.” Essa frase histórica se aplica aos discursos de alguns políticos. No caso do ex-presidente Lula, à mídia não consegue deixa-lo fora do poder, tanto é que as pesquisas para a corrida presidencial o aponta como favorito na disputa. Ainda sobre Maquiável, o critério do certo e errado é o êxito.
Sem defender à corrupção, é pertinente afirmar os acertos do governo Lula, como também os escândalos de corrupção que marcaram seu governo. Durante o governo Sarney, para andar de avião era um grupo seleto, os ditos pistolões, pobre não tinha acento, tão pouco acesso. Por falar em acesso, entrar numa universidade não era uma tarefa tão simples, hoje, com o ENEM, o SISU ficou mais simplificado.
O que justifica a popularidade do ex-presidente? À alienação das massas? Ou, um governo que beneficiou os mais pobres?

Confira os escândalos durante o governo de Fernando Henrique Cardoso entenda que o problema do país não se resolve com uma simples alternância, mas, com reformas políticas e com a mudança de governar o país. Um congresso corrupto como o nosso não tem o poder de decidir o futuro de um país, eleições já!

Operação Navalha
A investigação da Polícia Federal, que começou em 2004 na Bahia, apontou a existência de um sofisticado grupo organizado voltado a obtenção ilícita de lucros por meio da contratação e execução de obras públicas. Diversos crimes autônomos teriam sido praticados, como fraude a licitações, peculato, corrupção ativa e passiva, crimes contra o sistema financeiro nacional e outros. O suposto esquema teve início no Poder Executivo federal. Em troca de vantagem indevida, servidores e agentes políticos de diversos ministérios direcionavam verbas da União para obras em locais onde havia atuação da construtora Gautama. Os prejuízos chegam a mais de R$ 154 milhões.

Máfia dos Sanguessugas (ou da Ambulância)
Apesar de existir desde 2001, o esquema foi deflagrado pela PF, em parceria com a CGU, em maio de 2006 e prendeu assessores e servidores públicos acusados de desviar mais de R$ 110 milhões do Orçamento destinado à saúde pública na compra de ambulâncias superfaturadas em até 120%. A propina era paga pela empresa Planam. Mais de 70 parlamentares foram denunciados como integrantes da quadrilha, que atuou durante cinco anos em Mato Grosso, Acre, Amapá, Distrito Federal, Paraná e Rio de Janeiro. O esquema ocorreu durante o período em que quatro ministros ficaram à frente da pasta: José Serra e Barjas Negri, no governo FHC, e Humberto Costa e Saraiva Felipe, do governo Lula.

Caso Furnas
O esquema levantou indícios de superfaturamento na construção de duas hidrelétricas, Batalha e Simplício, que começou em 2008, pela empresa estatal Furnas Centrais Elétricas. Na época, o Tribunal de Contas da União (TCU) levantou que o estudo de viabilidade de Batalha (na divisa entre MG e GO) orçava a obra em R$ 460 milhões. Depois, o valor pulou para R$ 868 milhões e chegou quase a R$ 1 bilhão. Analisando a relação custo da obra e do retorno, o prejuízo estimado foi de, no mínimo, R$ 177 milhões. No mesmo período, também foram levantadas irregularidades em atos administrativos praticados pela gestão da Sociedade de Propósito Específico (SPE) Serra do Facão, que ocasionou perdas financeiras de R$ 8,4 milhões.

Máfia dos Transportes
Uma série de denúncias de superfaturamento foi levantada em julho de 2011. No foco, estavam a estatal das ferrovias Valec e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), comandado por Luiz Antonio Pagot (PR). Conforme relatos apurados pela imprensa da época, o PR cobrava 4% de propina de empreiteiras interessadas em contratos com o governo. A maior parte do dinheiro ia para o caixa do partido, sob a direção do então ministro Alfredo Nascimento e do deputado Valdemar Costa Neto. O restante era destinado aos parlamentares dos estados em que as obras deveriam ser feitas. O rombo ultrapassou os R$ 23 milhões.

Fraude em licitações da Saúde Pública do Rio de Janeiro
No início de 2012, um repórter do Fantástico se infiltrou no setor de compras do Hospital Federal Infantil do Rio de Janeiro durante dois meses. A reportagem, que foi ao ar em março, revelou um poderoso esquema de fraudes em contratos e licitações, pagamentos de propinas, pagamentos sem serviços prestados ou sem cobertura contratual. Além de funcionários públicos, quatro empresas, que estão entre os maiores fornecedores do governo federal, foram investigadas. Entre elas estava a Locanty, que, em 2010, doou mais de R$ 1,4 milhão para quatro campanhas eleitorais: a do governador Sérgio Cabral (R$1,3 milhão), dos deputados estaduais Alcebíades Sabino (PSC) e Bebeto (PDT), que receberam R$ 50 mil cada, e à direção nacional do PSDB, que também recebeu contribuição de R$50 mil. O prejuízo aos cofres públicos foi de R$ 22 milhões.

Fontes: NOTÍCIAS UOL/ ÉPOCA NEGÓCIOS/ LULA LIDERA PESQUISA PARA PRESIDENTE O GLOGO

sábado, 28 de maio de 2016

Lula vê escolha de Dilma como seu erro mais grave, diz Sarney em áudio

Em um novo trecho da gravação de diálogos seus com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o ex-senador José Sarney (PMDB-AP) afirma que  Lula disse que a escolha de Dilma Rousseff para sucedê-lo como seu “mais grave erro”.
A transcrição do diálogo foi veiculada pela edição deste sábado (28) do “Jornal Hoje”, da TV Globo. A reportagem não reproduz o áudio, que é narrado pelo repórter. 
Ver as imagens
Segundo o “Jornal Hoje”, a conversa foi gravada por Machado na casa de Sarney. O nome do ex-presidente Lula não é citado, mas a reportagem diz que fica claro, para os investigadores, que a conversa é sobre ele.
No diálogo, Machado diz a Sarney: “Agora, tudo por omissão da dona Dilma”, em uma referência às investigações da Lava Jato que atingem o mundo político.
Sarney responde: “Ele chorando. O que eu ia contar era isso. Ele me disse que o único arrependimento que ele tem é ter eleito a Dilma. Único erro que ele cometeu. Foi o mais grave de todos.”
Em nota ao “Jornal Hoje”, o Instituto Lula informou que o petista já teve seus sigilos bancário e fiscal quebrados, analisados e divulgados. E que caberia aos autores das frases e gravações comentarem suas declarações privadas divulgadas ilegalmente.
Ao jornal Folha de S. Paulo, o instituto diz que “o vazamento ilegal das gravações é mais uma evidência de que, depois de investigar por mais de dois anos, o Ministério Público Federal não encontrou sequer um fiapo de prova contra Lula. Porque Lula sempre agiu dentro da lei”. 
Foto: AFP/Yahoo Notícias

quarta-feira, 18 de maio de 2016

EM GRAMPO, LULA AGRIDE FÁTIMA E OUTRAS PARLAMENTARES DO PT



Uma conversa entre o ex-presidente Lula e o ministro dos Direitos Humanos Paulo Vannuchi sobre Eugênio Aragão, novo ministro da Justiça, foi interceptada pela Polícia Federal em virtude da Operação Lava Jato. Em um dos trechos do áudio, Lula diz que vai colocar as senadoras Fátima Bezerra e Maria do Rosário em cima de “Rondônia”, que segundo as investigações é o procurador Douglas Krischner, a quem ele acusa de bater na mulher.

“Vamos pegar esse de Rondônia agora colocar Fátima Bezerra e Mária do Rosário em cima dele para fazer um movimento de mulheres contra esse filho da p... Elas teriam um papel importante em cima do homem que deixava a mulher sem comer e dava chibatadas nela. Fica procurando o que fazer, faz movimentos das mulheres contra ele com as do grelo duro lá do nosso partido pô”, disse o ex-presidente e atual Ministro da Casa Civil.

Em outro trecho, o ex-presidente diz para Vannuchi que Aragão deve cumprir “papel de homem” como ministro da Justiça, a quem chamou de filho da p... Por inúmeras vezes. Eu às vezes fico pensando até que o Aragão deveria cumprir um papel de homem naquela p…, porque o Aragão parece nosso amigo, parece, parece, mas tá sempre dizendo ‘olha’, sabe? P…”, afirmou.

Ao ser procurada pela reportagem do Nominuto.com, a assessoria de imprensa da senadora Fátima Bezerra revelou que ela nunca foi procurada por ninguém para tratar sobre o assunto citado no áudio.
Sobre o possível insulto do ex-presidente Lula, a assessoria revelou que a polêmica declaração depende de interpretação. Oficialmente, a senadora não irá se pronunciar sobre este fato.

Fonte: MAÉRIA EXTRAÍDA DO BLOG MIQUÉIAS CAPUXU

CLIQUE AQUI E OUÇA O ÁUDIO

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Paulo Henrique Amorim: Lula será preso quinta-feira

lula
Paulo Henrique Amorim fala sobre a possível prisão de Lula:

O Supremo tem que decidir até quarta feira, dia 11 de maio, se deixa o Lula ser ministro da Dilma.
No dia seguinte, quinta-feira, a Dilma não consegue nem um cafezinho: o Traira terá assumido.
O Lula volta ao Moro, que o prenderá.
Se não for na quinta, será na terceira das próximas atividades do Dr Moro.
(A posse do Traira poderia tirar os holofotes do Dr Moro…)
Primeiro, Moro deve encarcerar o Edinho, Ministro da SECOM.
Há uma segunda operação prevista e, segundo avaliações confiáveis, Lula vai para Curitiba na terceira a contar de agora.
A senha terá sido a “entrevista” do Ministro Gilmar (PSDB-MT) – não deixe de ver a denuncia contra ele que a CNJ, como previsto, arquivará – ao Estadão deste domingo 8/5.

sexta-feira, 18 de março de 2016

Desembargador cassa liminar que suspendia nomeação de Lula como ministro

O presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), Cândido Ribeiro, derrubou agora há pouco decisão que suspendeu a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no cargo de ministro-chefe da Casa Civil. O desembargador atendeu a um recurso da Advocacia-Geral da União (AGU).
A posse foi suspensa na manhã desta quinta (17) pelo juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, durante a posse de Lula, realizada no Palácio do Planalto.
Ver as imagens
No despacho, o juiz disse que “a posse e o exercício no cargo podem ensejar intervenção, indevida e odiosa, na atividade policial, do Ministério Público e mesmo no exercício do Poder Judiciário, pelo senhor Luiz Inácio Lula da Silva”.
No recurso, a AGU alegou “ausência de imparcialidade objetiva” do juiz federal. Para o ministro-chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo, Catta Preta tem se “engajado” contra o governo Dilma.  
“Conforme apresentamos ao TRF, esse magistrado, contra o qual, pessoalmente, temos apenas que fazer elogios, tem se engajado publicamente em uma militância política contra o governo Dilma Rousseff. Não foram poucas as mensagens desse magistrado na questão relativa a um posicionamento pelo fim do governo Dilma Rousseff”, disse Cardozo, mais cedo, em entrevista coletiva à imprensa.
A nova medida, porém, ainda pode não permitir que Lula exerça o cargo, uma vez que há outra decisão, essa da 6ª Vara da Justiça Federal no Rio de Janeiro, em vigor. As duas são de primeira instância e teriam juridicamente a mesma eficácia.

André Richter, da Agência Brasil
Foto: AFP

terça-feira, 15 de março de 2016

Pré-candidato a presidente, Lula é o novo chefe da Casa Civil!

Dilma-Lula-posseDepois da tempestade vem a bonança, perseguido pela mídia golpista, o ex-presidente Lula demonstra à força que tem e o carinho do povo Brasileiro. Para quem tem dúvida, só comparar a história que não mente, foi o melhor presidente da história desse país. Só observar a continuidade das políticas públicas ao homem do campo e na educação. Com isso o governo ganha fôlego contra o IMPEACHMENT da oposição raivosa. Entretanto, urge a necessidade de uma reforma ministerial para soerguer este país! Viva à democracia!

Foto extraída do blog do Tarso

sábado, 5 de março de 2016

O maior adversário do ex-presidente Lula é à mídia, ou aliada? Entenda!

Fazendo uma análise friamente, desde os governos de FHC até chegar em Dilma houveram avanços na economia, saúde, educação e melhoria na vida do povo brasileiro. Os escândalos também fazem parte, ora, o modus operandi é o mesmo. A privatização trouxeram benefícios, até 1994 uma linha telefônica custava em torno de 1.200,00 reais, hoje é de graça. O plano real implantado no governo de Itamar Franco (PMDB) deu ao país estabilidade econômica. A educação, durante o governo Lula teve a expansão dos IFs (Institutos Federais), o ENEM, PROUNI, ciências sem fronteiras, programas de transferência de renda, acesso facilitado às universidades fizeram com que a educação avançasse.

Lógico que à mídia tem o dever de num mundo digitalizado e das redes sociais para trazer essa informação em tempo real e sem maquiagem. Falácia, criar fatos, mas também criar factoides espalhando boatos é uma constante. O poder da mídia é algo assustador e o feitiço vira contra o feiticeiro, ou seja, colocaram o ex-presidente Lula como pré-candidato absoluto para 2018. A mídia é adversária ou aliada de Lula? Em resumo, antes o mensalão era o maior escândalo do PT, depois veio o Petrolão com envolvimento de vários partidos, ou seja, à corrupção é suprapartidária, sem uma reforma política decente mudarão os atores, mas o cenário será o mesmo. 

domingo, 31 de janeiro de 2016

Em nota, Instituto Lula volta a negar que ex-presidente seja dono de triplex

Assessoria fala em 'farsa', 'armação' e 'invencionices' contra o petista.

Ministério Público investiga se ex-presidente Lula ocultou patrimônio.

Do G1, em Brasília

Em nota divulgada neste domingo (31), a assessoria de imprensa do Instituto Lula voltou a negar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus familiares sejam proprietários de um apartamento tríplex no litoral de São Paulo. O instituto também divulgou documentos sobre a aquisição da cota (veja a íntegra da nota).
O Ministério Público de São Paulo investiga se o ex-presidente ocultou patrimônio em razão do triplex, que teria sido cedido à familia dele pela construtora OAS.
No texto, intitulado "Os documentos do Guarujá: desmontando a farsa" o Instituto Lula acusa adversários políticos e parte da imprensa de "criar um escândalo a partir de invencionices".
A assessoria do ex-presidente argumenta que ele nunca foi dono do apartamento, mas somente proprietário de cotas de um projeto da Bancoop, cooperativa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, adquiridas por sua esposa, Marisa Letícia. A cooperativa se tornou insolvente e transferiu imóveis inacabados para a construtora OAS.
O texto diz que a família do ex-presidente Lula investiu R$ 179.650,80 na compra da cota, que foi declarada à Receita e ao Tribunal Superior Eleitoral, segundo a assessoria do petista.
"Marisa Letícia tornou-se associada à Bancoop e adquiriu uma cota-parte para a implantação do empreendimento então denominado Mar Cantábrico, na praia de Astúrias, em Guarujá, balneário de classe média no litoral de São Paulo", diz o início da nota. O empreendimento mudou de nome – para Solaris – após a OAS assumir a construção do prédio.
"Quando o empreendimento Mar Cantábrico foi incorporado pela OAS e passou a se chamar Solaris, os pagamentos foram suspensos, porque Marisa Letícia deixou de receber boletos da Bancoop e não aderiu ao contrato com a nova incorporadora", afirma o Instituto Lula.
Visita ao condomínio
O Instituto Lula afirma, ainda, que o ex-presidente visitou o apartamento triplex de número 164-A acompanhado de sua esposa e do então presidente da OAS, Léo Pinheiro, preso na Operação Lava Jato.

"Lula e Marisa avaliaram que o imóvel não se adequava às necessidades e características da família, nas condições em que se encontrava. Foi a única ocasião em que o ex-presidente Lula esteve no local", diz a nota.
A versão de Lula diverge do depoimento do zelador do edifício Solaris, José Afonso Pinheiro, e da porteira do condomínio, Letícia Eduarda Rodrigues da Silva Rosa, que falaram ao Ministério Público.
Aos promotores de Justiça, Pinheiro relatou ter visto Lula no condomínio duas vezes na época em que o triplex estava sendo reformado pela Tallento Construtora Ltda, empresa contratada pela OAS.
José Afonso Pinheiro disse ainda que um funcionário da OAS, que ele identificou como Igor, chegou a pedir depois do Carnaval de 2015 que ele não falasse que o apartamento 164A seria de Lula e da ex-primeira-dama. Segundo ele, o funcionário da empreiteira solicitou que, caso alguém perguntasse, ele deveria se limitar a dizer que o triplex pertencia à OAS.
Instituto Lula divulgou termo de demissão da cooperativa, assinado por Marisa Letícia (Foto: Reprodução)Instituto Lula divulgou termo de demissão da cooperativa, assinado por Marisa Letícia (Foto: Reprodução)
Desistência da cota
O Instituto Lula também afirma na nota que a família de Lula desistiu de utilizar a cota para adquirir um dos imóveis disponíveis no condomínio porque "as notícias infundadas, boatos e ilações romperam a privacidade necessária ao uso familiar do apartamento".

"A família do ex-presidente Lula solicitou à Bancoop a devolução do dinheiro aplicado na compra da cota-parte do empreendimento, em 36 parcelas, com um desconto de 10% do valor apurado, nas mesmas condições de todos os associados que não aderiram ao contrato com a OAS em 2009", afirma a assesoria.
A devolução do dinheiro aplicado à família do ex-presidente, segundo o instituto, ainda não começou a ser feita.
Instituto Lula divulgou termo de demissão da cooperativa, assinado por Marisa Letícia (Foto: Reprodução)Instituto Lula divulgou termo de demissão da cooperativa, assinado por Marisa Letícia (Foto: Reprodução)O instituto afirma que "fracassaram" as tentativas de envolvê-lo no escândalo bem como "caminham para o fracasso" as tentativas de envolvê-lo em um suposto esquema de compra e venda de medidas provisórias durante seu governo – esquema investigado pela Operação Zelotes.Perseguição
A assessoria de Lula conclui a nota afirmando que a "tentativa" de envolver o ex-presidnete no processo de investigação da Operação Lava Jato é a "maior campanha de perseguição que já se fez a um líder político neste país". O texto acusa os adversários políticos e a oposição de serem os responsáveis pela "campanha".
"Aos adversários de Lula – duas vezes eleito presidente do Brasil, maior líder político do País, responsável pela maior ascensão social de toda a história – restou o patético recurso de procurar um crime num apartamento de 215 metros quadrados, que nunca pertenceu a Lula nem a sua família", diz a nota.
"A mesquinhez dessa “denúncia”, que restará sepultada nos autos e perante a História, é o final inglório da maior campanha de perseguição que já se fez a um líder político neste país. Sem ideias, sem propostas, sem rumo, a oposição acabou no Guarujá. Na mesma praia se expõem ao ridículo uma imprensa facciosa e seus agentes públicos partidarizados", conclui o instituto.
Instituto Lula divulgou termo de adesão ao empreendimento, assinado pela ex-primeira-dama Marisa Letícia (Foto: Reprodução)Instituto Lula divulgou termo de adesão ao empreendimento, assinado pela ex-primeira-dama Marisa Letícia (Foto: Reprodução
)