SPIDER2

terça-feira, 27 de junho de 2017

Temer contra Temer: 5 declarações e contradições citadas por Janot

O presidente Michel Temer no Palácio do Planalto (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)










O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, utilizou declarações do presidente Michel Temer em pronunciamentos, entrevistas e notas de sua assessoria para reforças aspectos da denúncia apresentada por corrupção passiva. Janot destacou contradições de Temer como ao dizer que se encontrou com Joesley Batista, dono da JBS, para tratar da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, que só viria a ocorrer dez dias depois, assim como declarações na qual ele confirma ter indicado o ex-assessor Rocha Loures para atuar como seu interlocutor junto ao empresário.
Veja a lista:
Carne Fraca
Em entrevista Temer disse que quando Joesley manifestou interesse de encontrá-lo achou que o empresário desejava falar sobre a operação Carne Fraca e por isso o recebeu. Ocorre que o encontro no Palácio do Jaburu ocorreu em 7 de março e a Operação da PF só foi deflagrada dia 17, como demonstrou o GLOBO. Janot destacou que “as próprias versões apresentadas pelo denunciado Michel Temer a respeito de certos fatos colidem entre si”.
Jatinho da JBS
O procurador-geral da República destacou a contradição de Temer ao responder sobre uso de um avião bimotor da JBS, de prefixo PR-JBS. Em uma primeira nota, o presidente negou ter viajado: “O presidente não fez nenhuma viagem em aeronave de nenhuma espécie em janeiro de 2011, para Comandatuba”, afirmou. No dia seguinte, porém, quando os registros do voo foram divulgados, Temer confirmou ter realizado a viagem, mas disse não saber quem era o dono do avião. Janot incluiu na denúncia registros do diário de bordo da aeronave que confirmam a presença de Temer.
Indicação de Rocha Loures
Em pronunciamento feito sobre o episódio, Temer disse que fez a indicação do ex-assessor Rocha Loures para “se livrar” de Joesley. Janot contesta a versão, destacando que tal interlocutor só foi indicado após o dono da JBS falar sobre uma série de crimes cometidos e pedir alguém para tratar de seus interesses no governo. “Não se sustenta, portanto, a versão dada por Michel Temer em seus pronunciamentos públicos, segundo a qual indicou Rodrigo Loures para “se livrar” de Joesley Batista. Na verdade, a conversa no Palácio do Jaburu foi a continuidade das tratativas para as solicitações, aceitações e recebimentos de vantagens indevidas habituais e que viriam em sequência. Note-se ainda que os encontros futuros não seriam apenas com Rodrigo Loures, pois o próprio presidente Michel Temer aventou a possibilidade de novos encontros no Palácio do Jaburu”, escreveu Janot.
Relação com Rocha Loures
Um vídeo gravado por Michel Temer em apoio a Rocha Loures também foi utilizado. Na gravação, de 2014, Temer pede votos ao aliado e ressalta a proximidade entre eles: “Aliás, ele, aqui [no gabinete da vice-presidência], operava não só auxiliando a mim no Brasil todo”. Janot observou ainda o fato de R$ 200 mil terem sido doados pela campanha de Temer à de Rocha Loures naquele ano. No áudio gravado por Joesley, Temer se refere ao ex-assessor como alguém de sua “mais estrita confiança”.
Encontros na calada da noite
Em um pronunciamento sobre o episódio, Temer disse que é comum receber pessoas no final da noite: “confesso que o ouvi à noite, como ouço muitos empresários, políticos, trabalhadores, intelectuais e pessoas de diversos setores da sociedade brasileira”. A PGR fez um cruzamento das agendas do presidente de 1º de abril a 13 de junho, constatando não haver nenhum registro de reuniões após as 22 horas. Ressaltou ainda o fato de Temer ter se negado a responder perguntas da Polícia Federal pedindo que indicasse outros interlocutores recebidos em situações semelhantes.

Recurso para isenção de taxa no Enem pode ser apresentado até amanhã ao Inep


© Foto: Wilson Dias/ABr

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que tiveram a isenção do pagamento da taxa de inscrição negada têm até as 12h de amanhã (25) para enviar os documentos que comprovem o direito ao benefício ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os documentos devem ser encaminhados para o e-mail: isencaoenem@inep.gov.br.
O assunto do e-mail deve ser “Recurso Administrativo – Isenção da Taxa de Inscrição do Enem 2017”. O corpo do e-mail deve conter o nome completo, CPF e número de inscrição do participante, além do nome completo e o CPF da mãe. A ausência de qualquer uma dessas informações inviabilizará a análise do recurso. A documentação enviada deverá ser legível, em formato .pdf ou .jpg
A possibilidade de recurso administrativo é apenas para os participantes que tinham direito ao benefício, solicitaram a isenção, mas se equivocaram ao escolher o ato legal que embasa sua situação socioeconômica e, como consequência, tiveram a Guia de Recolhimento da União (GRU) para pagamento da taxa gerada. O participante deve decidir entre a Lei 12.799/2013, que dispõe sobre a desobrigação das taxas em processos seletivos de ingresso nos cursos das instituições federais de educação superior, e o Decreto 6.135/2007, que trata do Cadastro Único para Programas Sociais.
Podem solicitar isenção do pagamento da taxa de R$ 82 os alunos que concluíram o ensino médio em escola pública ou em escola privada com bolsa de estudos integral e os que tenham renda igual ou inferior a um salário-mínimo e meio por integrante da família.
Fonte: Agência Brasil/Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil

Sem recursos públicos, Prefeitura de Florânia realizará São Pedro Cultural com vasta programação em Praça Pública

São Pedro Cultural em FlorâniaA Prefeitura Municipal de Florânia, com apoio das Secretarias Municipais, promoverá na próxima quarta-feira, 28 de junho, o São Pedro Cultural intitulado Arraiá de Seu Cosme. O evento acontecerá em praça pública, no largo da Igreja Matriz, e não terá recursos públicos. As despesas foram angariadas pela Comissão Organizadora, através de contribuições voluntárias e arrecadações.
O evento contará com apresentações de quadrilhas, apresentações culturais, concursos de rainhas juninas, casal matuto, melhor cuscuz; brincadeiras, comidas típicas, pescaria, exposição de maquetes, táxi caipira, e muito forró pé de serra com animação de Rodrigo Potiguar e Jandy do Acordeon.
Veja Programação:
16h – Cortejo Junino, Noiva Oculta, Brincadeiras Juninas;
19h – Apresentações culturais; quadrilhas estilizadas e matutas, comidas típicas, concurso da Rainha Junina, feira de artesanato e concurso do melhor cuscuz;
22h – Forró Pé de Serra, com animação de Rodrigo Potiguar e Jandy do Acordeon.

Matéria extraída do blog CARNAÚBA EM FOCO

Palocci, a ponte do PT com o mercado e os escândalos


Antonio Palocci sempre conseguiu renascer das cinzas. As denúncias de corrupção o obrigaram a renunciar, em 2006, a seu cargo de ministro da Fazenda de Lula, mas ele ressurgiu como braço-direito de Dilma Rousseff até que o fantasma da fraude voltou a assombrá-lo.
Por um tempo, dedicou-se à consultoria, mas o juiz Sérgio Moro acabou por impedir essa sua nova ressurreição: detido desde setembro passado, nesta segunda foi condenado a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Médico de profissão, o influente ex-ministro de 56 anos foi um hábil estrategista no complexo jogo de xadrez de interesses e partidos sobre os quais foram montados os governos do PT.
Seu afiado olho político o levou de vereador de uma cidade do interior paulista, onde nasceu, Riberão Preto, a ministro da Fazenda do primeiro governo de esquerda do país, nos anos cruciais da era Lula (2003-2010).
Participou na construção do PT e foi coordenador da campanha vitoriosa de Lula.
Temerosos ante a chegada de um presidente de passado sindcalista a Brasília, o astuto Palocci - que quando jovem fazia parte dos grupos da esquerda radical - se revelou um efetivo calmante para os investidores.
Como ministro, mostrou uma inesperada habilidade para servir de ponte enter os setores mais alinhados com Lula dentro do governo e o mercado financeiro, sendo visto como umdos mais influentes integrantes do gabinete.
No final de 2005, no entanto, surgiram as primeiras denúncias contra ele, por participação no pagamento de propinas a políticos aliados, o chamado escândalo do "Mensalão".
Em março de 2006, quando foi acusado de divulgar dados privados de uma testemunha, Lula acabou por cedendo às pressões e pediu sua demissão.
Era a primeira queda no vazio de um político de grande potencial, que alguns consideravam, inclusive, possível sucessor de Lula. No entanto, mais uma vez, ele voltaria.
"Pessoas com a competência política de Palocci não surgem todos os dias, nem todos os anos. Demoraram muito para nascer", afirmou Lula em uma entrevista a um jornal de Ribeirão Preto, em 2014.
Seu sustituto foi Guido Mantega, também suspeito por conexões com o Petrolão.
- Regresso triunfal -
Apenas meses depois de sua saída em 2006, Palocci conseguiu ser eleito deputado, ao mesmo tempo em que abriu uma empresa de assessoria para assuntos financeiros.
Mas sua atividade privada não o impediu de voltar a estar no lugar e na hora oportunos, quando Lula o convocou, em 2010, para coordenar a campanha eleitoral da então ministra Dilma Rousseff.
Como reconochecimento por seu papel fundamental na campanha, Dilma o designou ministro da Casa Civil. Seu regresso triunfal, no entanto, durou apenas seis meses.
Acusado pela imprensa de ter multiplicado por vinte seu patriomônio em quatro anos graças a sua supostamente próspera consultoria, o fantasma da corrupção voltou a afastá-lo de um governo do qual era ums dos principais arquitetos.
Conhecida por seu temperamento frio, Dilma não conseguiu evitar a emoção na voz por demitir seu braço direito na cerimônia de posse da sucessora na Casa Civil, Gleisi Hoffmann, eleita este mês como presidente do PT, apesar de ser igualmente investigada pela "Lava Jato" no Petrolão.
Palocci foi detido no final de setembro, menos de um mês depois do impeachment de Dilma.

Fonte: Yahoo Notícias

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Rodrigo Maia recebeu envelope com fezes em seu gabinete

O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) recebeu um envelope com fezes em seu gabinete. O pacote foi despachado em uma agência dos Correios de Brasília e já está sendo investigado pela Polícia Legislativa.
Os policiais estão vendo se é possível identificar o remetente através de imagens de câmeras de segurança. No envelope, o remetente era falso.
Caso identifique algum suspeito, a Polícia pode lavrar um termo circunstanciado para enquadrar o caso como contravenção, dado o baixo grau de poder ofensivo, que deverá ser encaminhado à Justiça. O órgão classificou o caso com "brincadeira de mau gosto".
Segundo agência O Globo, foi Rodrigo que contou a amigos sobre o envelope e pediu para que o caso fosse investigado. O pacote teria sido aberto por uma funcionária do gabinete. De acordo com relatos, outros parlamentares também teriam recebido a encomenda nos seus gabinetes.
A assessoria de imprensa do deputado não quis comentar o caso.

Via Redação O POVO/Foto: Agência Câmera 

Palocci é condenado a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Rodrigo Félix Leal/Futura Press
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, condenou o ex-ministro Antonio Palocci as 12 anos e 2 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As informações são do G1.
A sentença foi dada nesta segunda-feira. Além dele, outros 13 eram réus no processo.
Eles respondiam por crimes como corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
A ação penal apurava se Palocci recebeu propina para atuar em favor da Odebrecht, entre 2006 e 2013, interferindo em decisões tomadas pelo governo federal.
Palocci é acusado de intermediar propinas pagas pela empreiteira ao PT. Ex-executivos afirmaram que o codinome “Italiano”, que aparece em uma planilha ao lado de valores, fazia referência ao ex-ministro, mas ele sempre negou isso.
Palocci foi preso na 35ª fase da Lava Jato, batizada de Omertà, em setembro do ano passado. Atualmente ele está preso no Paraná.
Nas alegações finais, a defesa do ex-ministro havia apontado inconsistências nas delações de ex-executivos da Odebrecht e pedia sua absolvição.

Fonte: Yahoo Notícias/com informações G1

Destruidora, nova droga é feita com sangue humano

Mais uma preocupação para autoridades de todo o mundo está circulando nas ruas. Começou nos Estados Unidos, após uma busca e apreensão realizada pela polícia de Bucks County, na Pensilvânia. Agora, todos sabemos da existência do Blood.
A nova droga tem um nome que, traduzido, mostra seu principal componente: sangue. Ela tem aparência vermelha e não é a toa, já que ela é feita exatamente com uma mistura de sangue humano com fentanyl, um analgésico derivado do opiáceos de extrema potência.
A polícia de Bucks County apreendeu uma ampola da droga e a levou para análise. Nela, foram encontradas outras 13 substâncias além de sangue humano e fentanyl. Entre elas, THC, metanfetamina e efedrina, por exemplo, estavam listadas nos resultados clínicos da amostra.
A revista norte-americana Popular Science, responsável pela primeira divulgação da droga, afirma que uma dose inteira contém nada menos do que 11mg de metanfetamina, basicamente uma dose inteira da droga. Isso indica que não houve mistura acidental com sangue e sim algum ser humano o fez com total intenção.
O Blood é uma droga injetável, o que preocupa ainda mais os especialistas por conta da transmissão de HIV e outros vírus. Mas há, no caso desse novo produto que circula no mercado negro, um adicional que traz ainda mais perigo para o usuário: a incompatibilidade sanguínea.
Se qualquer indivíduo receber sangue de um tipo que seja incompatível com o seu, poderá ser vítima de uma reação imunológica com potencial letal. Afinal, coágulos sanguíneos são criados e podem levar tanto a acidentes vasculares quanto a paradas cardíacas.
Fonte: Yahoo Notícias